sexta-feira, 3 de março de 2017

Não faço dieta, mas aprendi a comer de maneira diferente!

[os meus pequenos-almoços-conforto]
Já lá vai o tempo em que os meus pequenos-almoços eram, inevitavelmente, uma torrada com manteiga e um abatanado cheio. Quem vai seguindo este blogue, sabe que desde Agosto que mudei a minha alimentação e que, com a ajuda da Clínica do Tempo, voltei mais facilmente ao lugar no pós-parto.
Perdi muitos quilos pelo caminho (brevemente mostrarei uma foto do "antes" e do "depois"), mas mais importante que isso, o meu corpo mudou radicalmente, porque desinchei e perdi flacidez. Confesso-vos que ainda há dias em que me olho ao espelho e mal me reconheço, porque as diferenças são muito acentuadas.
Tenho vindo a falar da minha reeducação alimentar em alguns posts, mas ainda há muitos leitores que me contactam a pedir conselhos. Não tenho a pretensão de ensinar nada, simplesmente porque não tenho qualquer formação na área da Nutrição e porque já aprendi que cada caso é um caso, mas há pequenas dicas que funcionaram comigo e que volto a partilhar:
  • Eliminei o trigo e os açúcares adicionados da minha alimentação diária (excepção para dias de festa e para o dia semanal de "junk food" cá em casa);
  • Evito comer hidratos de carbono à noite (quanto muito, opto pela batata doce);
  • Não passo mais que duas horas sem comer;
  • Preparo alguns snacks saudáveis de véspera, ex. pão de banana, panquecas, bolo de alfarroba ou outros (já falei deles no blogue ou na minha conta de instagram, AQUI);
  • Planeio as refeições semanais ao Domingo, para não cair na tentação da comida pré-cozinhada, carregada de gordura, de sal e de açúcares;
  • Não tenho em casa refrigerantes, bolachas, nem cereais de pequeno-almoço;
  • Opto pelo chocolate negro com um mínimo de 70% de cacau, quando preciso de chocolate (e acreditem que preciso dele todos os dias!);
  • Quando me sinto miserável e estou ávida de qualquer coisa que me sacie depressa, como ovos, batata-doce, frutos secos (AMO cajus!) e bananas;
  • Prevarico de vez em quando e tento esquecer a culpa, que ela engorda-nos a cabeça.

9 comentários:

macaca grava-por-cima disse...

same here!
(adoro deitar-me a sonhar com o pequeno-almoço do dia seguinte)

Anónimo disse...

Não podes partilhar algumas receitas? Por aqui há vontade mas a imaginação é tão reduzida.....

Alexandra Dinis disse...

A Marta tem de escrever um livro. "A minha nova alimentação".
Seria um sucesso.
Beijinhos

A mamã vai casar disse...

Para mim o mais difícil é cortar o pão e as bolachas. Uma verdadeira luta :/

Anónimo disse...

Hmm... mas come de 2 em 2 horas alimentos lowcarb? Será que não nos podia dar o exemplo de um dia completo da sua alimentação (o que come pequeno-almoço, meio da manhã, almoço, lanche e jantar, p.f.? Sei que é pedir muito mas... um dia, quando pudesse... ficar-lhe-ia tão grata!)

Just me disse...

Adoptei um novo regime alimentar, sensivelmente, desde fevereiro... partilho os mesmos ideais que publicou e, sim, de facto, noto muita diferença! Fico escandalizada quando leio os rótulos das produtos que comprava e me apercebo o quão mal me faziam! Só para dar um exemplo: como é que é possível que o bacon (commumente adquirido num qualquer supermercado) tenha adicionado nos seus componentes açucar?! Nem queria acreditar!
Hoje, sinto-me mais saudável. Tenho seguido o seu blogue e já elaborei a receita do bolo de alfarroba... muito bom!

Luna disse...

Marta,

Seria possível dizer nos o que come de duas em duas horas? e se eliminaste o leite da tua alimentação ou de algum modo reduziste os lacticínios?
obrigada

Unknown disse...

Olá Marta!
Sigo-a diariamente e vou alimentando em silêncio uma enorme admiração por si.
Tenho uma filha de 14 meses e se a Amo de Paixão, a verdade é que me perdi de mim. Não sei explicar em que processo estou, mas sinto-me engolida pelo dia a dia, pelos diversos apelos que diários e deixei de olhar para mim! Preciso com urgência reencontrar-me e cuidar-me, a todos os níveis, incluindo o alimentar.
Como posso recuperar os post que fez sobre este tema, nomeadamente aqueles onde identificava a literatura onde se tem inspirado para a mudança alimentar que fez?
Parabéns pela coragem e por esse sorriso que esconde qq medo que possa sentir!

Dolce Far Niente disse...

Olá Unknown, mande-me mail e partilharei consigo os links.

Um beijinho!