segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Fala-me de ti...





Se te pedir para falares de ti, falas-me mais facilmente do que fazes, do teu trabalho, do que de ti próprio, porque o teu trabalho é normalmente aquilo que te define. Tu e eu fomos treinados desde pequenos para formarmos a nossa identidade em função do que fazemos, para confundir o que somos com aquilo que fazemos. Senão vejamos: quantas vezes te perguntaram em criança o que querias ser quando fosses grande e quantas vezes já não perguntaste isso a outras crianças? Invariavelmente, terás respondido sobre a tua profissão de sonho, porque é esperado que à pergunta "o que queres ser?", respondas o que queres fazer. Esta ligeira confusão de verbos tem um impacto tremendo nas crenças que construímos à volta do trabalho e da nossa identidade. Somos o que fazemos, logo, se não fazemos bem somos um fracasso, se não sabemos o que queremos fazer, somos inseguros, pouco focados, e por aí adiante.
Lanço-te um desafio: se te pedir "fala-me de ti...", tenta responder sem recorrer ao trabalho que fazes, ao cargo que ocupas, ao curso que tiraste. Fala-me de ti, de quem tu és. Experimenta sem medo. Eu começo:
Sou a Marta. Filha única e mãe de 4 filhos, adoro viajar e escrever, e sou apaixonada por partilhar experiências e por criar "pontes", porque acredito que é nessa partilha que nos redescobrimos e que criamos conexão com os outros.
Agora tu...fala-me de ti...
Acredita que não dói nada.

3 comentários:

Ana Sousa disse...

Pois é...acabamos por diluirmo-nos em tantas coisas

Lucinda Marques disse...

olá
Para onde se pode enviar mensagem,

obrigada

Lucinda

Dolce Far Niente disse...

Olá Lucinda, pode enviar mail para martamoncacha@gmail.com
Fico à sua espera!

Beijinhos