domingo, 23 de setembro de 2018

Espero-te sempre.

Sidney, 2018

Morro de saudades tuas, puto. As fotografias que o pai e a Marta mandam, ajudam a manter-te mais perto de nós, mas é através delas que percebo mais um bocadinho, todos os dias, que estás longe. Estás a ganhar mundo, a conhecer mundo, a agarrar o mundo.
Sei que isto é só o início. Imagino que daqui para a frente não existam limites, porque já percebeste que há vida lá fora.
Espero-te sempre. Mesmo que a partir de agora, só me reste esperar.

1 comentário:

Titica Deia disse...

Não deve mesmo ser fácil!!!