quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Mulheres de prata


Tomei a decisão de assumir os meus cabelos brancos. Digo-o assim, de rajada, porque fica mais fácil.
Tenho falado sobre este assunto com algumas (poucas) pessoas e quase todas tentam dissuadir-me: ficarei mais envelhecida, a fase de transição é lixada, vou arrepender-me...talvez tenham razão. Talvez fique mais velha, ficarei com certeza com um ar desleixado enquanto não tenho a cabeça toda coberta de brancos e, possivelmente, arrepender-me-ei. A boa notícia é que é só cabelo e o cabelo cresce, corta-se e pinta-se, se houver lugar a arrependimentos. Fala quem teve psoríase a infância toda e quem  foi obrigada a rapar a cabeça aos 7 anos, depois de um acidente de viação. Fala quem conhece de cor os olhares críticos dos outros e quem sabe que a beleza e a fealdade são tão efémeras como subjectivas.

Perguntas antecipadas:
Se estou mesmo "branca"? Estou, desde os 20 e poucos.
Se não tenho medo do resultado? Muito, principalmente da fase de transição.
Se não me preocupa o que as pessoas vão pensar quando me virem com uma risca branca no alto da cabeça? Sim, mentiria se dissesse que não. Assusta-me o ar de desleixo.
Se vou escolher o processo natural de transição (deixar simplesmente os cabelos brancos crescerem), ou se vou tentar aproximar o tom? Ainda não sei. Não me apetece sujeitar o cabelo a mais químicos, mas não sei se terei coragem de deixar a coisa fluir.
Se o meu marido gosta da ideia de ter uma mulher de cabelos brancos? Adora.
Se os meus filhos gostam da ideia? Gostam.
Se cortei o cabelo já a pensar nisto? Sim, para ser mais fácil.
Se tenho um plano B? Tenho...voltar a pintar.
Se o meu cabeleireiro concorda? Não.
Se tenho pesquisado sobre o assunto? Obsessivamente, todas as noites.
Se há muita informação disponível? Imensa! Um admirável mundo novo.
Se acho que vou mudar de ideias a meio do processo? Talvez. Não sou absoluta em nada.

Queres juntar-te a mim nesta aventura? Queres simplesmente saber mais sobre este tema? Precisas de inspiração?
Adere ao grupo de facebook Mulheres de Prata!

28 comentários:

Teresa I. disse...

Deixei de pintar o cabelo já há bastantes anos. Não estou ainda completamente grisalha (esta palavra sim, "cheira" a muito, muito idoso) mas tenho bastantes cabelos brancos. Gosto deles, como gosto das minhas rugas. Estão cá para me lembrar - orgulhosamente - do que sou e do que passei até aqui chegar. Diria que os meus filhos e marido têm até orgulho de me ver a conviver tão pacificamente com os meus brancos. Se me arrepender? Pinto, pois claro. Sem dramas.
(Vale o que vale, mas eu tentaria aproximar o tom até estar tudo mais uniforme. Efetivamente, o ar de desleixo também me assusta...)
Boas escolhas Marta! Sê feliz, sem medos ;)

Anónimo disse...

Se eu consegui, tambem consegues (a minha cabeleireira também era contra, afinal ficou com menos serviço ;) )

Maria CS disse...

Acho ótima ideia!
Eu sou suspeita porque não me maquilho nem pinto o cabelo. Mas a verdade é que adoro ver mulheres de cabelos brancos. E gosto, principalmente, do facto de não tentarem esconder os brancos.
No entanto respeito imenso quem pinta o cabelo (cada um faz o que quer com o seu corpo e deve andar como se sentir melhor).
Na minha opinião, fazes lindamente. Força!
Primeiro estranha-se (seja qual for a mudança), depois entranha-se!
Beijo grande

nat. disse...

Daqui de longe bato palmas!
Decidi há uns anos não por mais tinta no cabelo...
Sempre que ia a algum cabeleireiro, do costume ou não, ouvia o típico "tem que cobrir essas brancas"... E mesmo alguns familiares são da mesma opinião...
Acho que nos devemos tratar, mas se for de nossa vontade devemos assumir as brancas, as rugas e tudo aquilo que é nosso... Se for de nossa vontade também devemos pintar o cabelo e tudo o que nos der na gana, mas tudo e apenas se for de nossa vontade!
Beijinhos e força!

TG disse...

Que coragem Marta! Já passei os 50! Penso muitas vezes em assumir os brancos (que tb andam por cá desde os 20 e poucos) mas tenho adiado essa decisão por falta de coragem! O cabeleireiro diz que não vou gostar de me ver e em casa torcem o nariz à ideia. Também ouço "vais parecer com o dobro da idade"! Vou-me juntar ao grupo no face para ver se é desta! Abraço

Hélia Gomes disse...

Fica mais um artigo a ler http://observador.pt/especiais/elas-nao-tem-medo-dos-cabelos-brancos/

Paula Fonseca disse...

Olá.
Assumi os meus cabelos brancos há cerca de um ano. Ainda estou em fase de transição com uns dourados que ainda resistem. Não tive tantas dúvidas como a Marta porque sempre mudei muito de penteados e cores ao longo da vida. O meu cabelo era castanho, já foi vermelho como o seu, loiro e agora grisalho.
Não me sinto mais velha ( tenho 49)nem desleixada.
A opinião dos outros vale muito pouco porque me sinto muito bem.
Se já pesquisou já vou certamente muitas fotos de mulheres lindíssimas com prata nos cabelos.
Portanto avance, sem medos e sempre com esse sorriso luminoso que a caracteriza😉

Vanessa disse...

ola! Nunca comentei no seu blog, mas hoje achei que devia. Eu aos 35 anos tenho montes de cabelos brancos mas decidi nao pintar! Assim agora estou a caminho da silver fox! para juntar a festa eu tenho um "patch" a frente tipo Cruella Deville! Anyway, mas para mim é so manter o que sempre fiz, porque eu nunca pintei o cabelo!

Sofia Marques disse...

Tenho 31 anos e até agora zero cabelos brancos. Algo me diz que me vai acontecer o mesmo que aconteceu à minha mãe, de zero passou para infinitos.
Mas desde muito nova que digo: "Nunca vou pintar o cabelo!" Isto porque a minha avó materna nunca o pintou e tem o cabelo cinzento (Lindo!!!), tenho esperança que o meu seja igual ao dela :-)
Toda a gente a quem digo isto me diz que sou louca! Parece que pintar o cabelo é uma coisa obrigatória e uma pessoa não se pode sentir bem com o que é natural.
Com isto não digo que na altura me dê uma crise existencial e entre no primeiro cabeleireiro mas estou convicta de que isso não vai acontecer :-)

Ana Sousa disse...

Olá, eu estou a ponderar seriamente mas, as filhas dizem que só posso quando tiver netos :)

Anónimo disse...

Eh.... no fim é só mesmo cabelo e não há cá lugares a arrependimentos.... tudo tem uma fase de transição, grande parte das vezes chata e desmotivadora, mas existe um objetivo que regra geral trás sempre algo melhor..... Força nisso
Tânia

Anónimo disse...

Parabéns pela coragem! Penso que a fase mais difícil será mesmo a de transição, raízes brancas e o resto do cabelo com tinta, pelo menos a mim é sempre onde não consigo aguentar e vai de pintar mais uma vez. Desejosa de ver o resultado no seu cabelo.
Andreia Rodrigues

Anónimo disse...

Adoro ver um cabelo branco.
Bem tratado e curto,ganha vida própria personalidade dá força a quem se aventura...
Mas há sempre um mas...
Envelhece e expõe,a velhice é inevitável para que antecipar? demostra garra força? essa temos de a ter. Mas força nisso,estamos cá para ver...

Lucilia Figueiras disse...

Adorava ter essa coragem, ando cansada de todos os meses ter que pintar o cabelo, mas ainda não sei se é o momento. Por enquanto vou continuar a pintar ...

м♥ disse...

Sinceramente, parece-me muito bem! É uma coisa importante para mulheres, claro, mas é só cabelo! Cabelo cresce, volta-se a pintar, enfim. Eu gosto de cabelos grisalhos, acho um charme - mesmo em mulheres! Ainda sou muito nova e tenho meia dúzia de cabelos brancos, até lá ainda mudo de ideias, mas sempre disse que gostaria de ter um cabelo branco gigante quando fosse mais velha :)


(Quando eu estudava, uma professora rapou o cabelo, assim do nada. Toda a gente pensou que estava doente. Felizmente não estava, estava só em transição para assumir os seus belos cabelos grisalhos e decidiu rapar para acelerar o processo. Acho que fica bem mais bonita e admiro-lhe a coragem!)

Alexandra Dinis disse...

Marta, tenho pensado tanto nisso.
Mas ainda não tive coragem, mais por causa do processo de transição...
O meu marido, filho, família e amigos desaprovam a ideia....

Anónimo disse...

Olá, já passo dos 50. Também pintei durante muitos anos.
Há dois anos atrás, em período de férias, quando já tinha um pouco de raízes cortei muito rente com máquina.
As pessoas estranharam mas habituaram-se e agora corto sempre com máquina e uso branco e muito curto (o meu cabelo é muito fininho).
Gosto de me ver e é muito prático.
Força!
MN

Sofia disse...

Ainda praticamente sem cabelo brancos tomei precisamente essa decisão porque me estava a tornar escrava da tinta.
É certo que ainda tenho poucos e como são espalhados até parece que não tenho nenhum.... mas não me arrependo de todo da decisão tomada.

Beijos e força!

Ana Pardal disse...

Eu também tomei essa decisão há algum tempo e até agora ainda não me arrependi, mas no meu caso, os brancos ainda não são assim tantos quanto isso! No entanto espero continuar com esta decisão até ao fim (e eu sou de ideias feitas!) ;-)

Anónimo disse...

Tomei essa decisão há dois anos, e ainda não me arrependi. Até gosto deles e muitas vezes tento pentear me de forma a que se vejam bem.
:)

Carina Jesus disse...

A minha mãe desde os 20 que tem os brancos. Pintou alguns anos até que se causou, deixou de pintar e foi o melhor que fez, está muito mais bonita. Eu também já tenho e não vou pintar. Adoro ver uma mulher que assume os seus brancos. Força vai ficar bonita.

aNorteSemNorte disse...

Tenho 35 anos. Não pinto o cabelo. Tenho muitas "madeixas" naturais... Ainda não me debati muito sobre isso. Há mulheres a quem a prata fica linda, há outras que nem tanto... Qual serei? Não sei, nem quero pensar nisso. Hoje, não tenho paciência para pintar, nem para ir regularmente a cabeleireiros. Amanhã, não sei como será... Cada dia, é um dia... Importante é sermos felizes!!! Beijinhos e tudo de bom!!!

Anónimo disse...

Tenho 52 anos e desde os 20 que tenho cabelos brancos. Até aos 30 pintei o cabelo de diversas cores. O processo de transição é difícil mas resolvi o problema com cortes bem curtos e como o meu cabelo cresce bem foi rápido. Hoje não me imagino sem o meu cabelo branco. Tenho amigas que me dizem constantemente para pintar,mas já tenho sido abordada por desconhecidas que elogiam os meus cabelos brancos. Coragem para assumir esta fase e depois logo decide se gosta de se ver e se é o que deseja. Felicidades Liliana

Anónimo disse...

Tenho 47 anos e desde os meus 10 anos que começaram aparecer cabelos brancos.
Não tive nem nunca tive nenhum drama por causa disso!!!
O meu cabelo é preto e tenho imensos cabelos brancos. Tudo numa boa!!!
Já a minha Cunhada quando aparece um cabelo branco faz um drama do "caraças". É bem mais velha do que eu e pinta o cabelo.

Assumir os cabelos brancos varia de mulher para mulher.

Acho que estar constantemente a pintar o cabelo também não deve ser nada saudável.....mas cada um sabe de si, não é verdade?

Maria de Jesus disse...

Olá, assumi os meus cabelos brancos à cerca de 3 ou 4 anos e nunca mais pintei. A minha mãe que vai a caminho dos 70 e a sobra a caminhos dos 80 ainda pintam e comentam (e muito) os meus brancos. Queria só deixar-lhe um conselho que me deram: 2 a 3 vezes por semana lavar com um shampoo roxo ou preto de modo que os brancos não fique amarelecidos (tipo louro). Mantém aquele brilho do branco! Tenho olhado muito para a sua foto e acho que, mais do que deixar vir os brancos, a verdadeira coragem foi ter cortado curto. Eu ainda ando em conversações com o meu cérebro... Beijinhos.

Anónimo disse...

Eu acho que fica moderno :)

Gena Resende disse...

Olá jovem Marta,
Digo jovem porque é um tico mais nova que meu filho mais velho, nascido quase um ano antes de Abril.
Se o caso for psoríase, pode pintar com tintas sem químicos. Uma das minhas amigas sofre desse mal ( psoríase, no couro cabeludo) e usa Herbatint e levou-me a mim a usar também, apesar de não sofrer da doença, mas fazer sinais vermelhos.
E a dica é usar duas ou três tintas para criar um tom único.
Eu também sou mãe,...mas ganho por um filho e um bocado mais velha.... tive a tentação de deixar de pintar.
Fica feio sim, a risca branca no cabelo, se tiver como eu, o cabelo castanho. Nasci com cabelo castanho cobre, meio ruiva mas o cabelo escureceu com a idade e pior depois de com a condicionante idade, ficar com menos estrógeneos o que leva a que a queratina tambémm decresça.
Uso a tinta do Celeiro, Herbatint recomendada pela minha amiga, e combino um tom N ( natural), com outro C e outro FF ( cinza) na proporção de 50% do primeiro e 25% de cada um dos outros, dependendo do tom que quiser, faça a pesquisa online. Não provoca alergia nenhuma nem comichão, nem tem qualquer efeito sobre a pele. Com três embalagems dá para duas colorações e sobram 25% das duas cores adicionais que vai dar para mais uma coloração com mais 50% de outra embalagem, para uma terceira coloração e ainda tem a vantagem de poder usar uma coloração total, de início, e depois fazer apenas as raízes e aí aprende a dosear as cores.
Tem ainda outra hipótese, ir ao cabeleireiro e tirar toda a tinta do cabelo com um produto para o efeito e ficar com ele apenas natural e assumir mesmo os brancos, é tendência. Eu tomei mas voltei atrás para voltar a usar as tintas à base de ervas e sem amónia ou água oxigenada.

É uma decisão que só nós podemos tomar e a decisão, como disse, pode sempre ser revertida...comentei apenas porque sou conhecedora de um caso grave e a minha amiga é loura natural e consegue por o cabelo quase platinado e juro, parece natural. Boa sorte.

Anónimo disse...

Por motivo de saúde, deixei de pintar o cabelo vai fazer um ano. Descobri que tenho muitos. Estou com 45 anos e duas filhas adolescentes e uma cabeleira muito cinzenta - já houve colegas das minhas filhas a acharem que eu era avó, não que a pele esteja estragada, mas os cabelos são de facto muitos. Ponderei e pondero se devo pintar - só por causa delas. Lá vou cortando e dando novos jeitos aos cabelos para ver se me gosto de mim assim mesmo - mas está difícil.