terça-feira, 18 de julho de 2017

E se?...

Foto: Maria João Pote Fonseca
A vida tem encruzilhadas que nos assustam; desafios que nos põem à prova e que nos esticam e que nos forçam a suplantar limites; curvas e contra-curvas que nos trocam as voltas e que nos põem no lugar, sempre que precisamos de lições de humildade. 
No meu caso, sempre que acho que estou absolutamente certa de um determinado caminho, chega algum dado novo para baralhar e dar de novo, uma espécie de prova de fogo pela qual tenho de passar para provar a mim própria, à Vida, ao que for, que este ou aquele é o caminho certo. 
Quando isto acontece, vem o medo, a vontade de chorar e de fugir, a sensação de impotência, de incompetência, e a tentação da preguiça. É tão mais fácil mantermo-nos no nosso cantinho confortável, menos trabalhoso, mais seguro, felpudo, quente, quieto. Mas o que fazer com esta inquietude que também me habita todos os dias? E com esta sensação, às vezes forte e doce, outras ténue e amarga, de que sou capaz de outras coisas, de outras geografias, de outras paisagens? 
E se o medo não for das minhas sombras, mas da minha luz? E se o medo não for do que não sou capaz de fazer, mas de tudo aquilo de que sou feita e que ainda não conheço? E se o verdadeiro medo for a tentação que dá algures a meio da viagem, para nunca testar os meus limites?...

5 comentários:

LGS disse...

Voce parece uma mulher insegura, mimada e egoista. So uma mae egoista tem um fiho e deixa o cabelo enbranquecer, o seu filho merece isso qd for para o infantario/ escola? Sempre com os seus medinhos, as suas picuinhices, credo!

Estava bonita no seu casamento, o seu cabelo estava otimo, cuidado e de boa cor, agora nem cuidado parece.


Deixe de olhar tanto para si, e n pergunte pq venho aqui, afinal as pessoas param todas para ver coisas estranhas que fogem a normalidade.

Viva! e pinte esse cabelo!

Dolce Far Niente disse...

Sabe o que é que sugiro que faça no próximo comentário, car(a) leitor(a) anónimo(a)? Assine-o, porque isto de nos escondermos atrás de um écran com iniciais e comentários cretinos, é cá de uma insegurança, não acha?...
Vá...dê um boost à sua vida, porque perder tempo a vir aqui para ver "coisas estranhas que fogem à normalidade" é de uma tristeza sem tamanho...

Isabel disse...

LGS anónimo... falta-lhe TUDO para chegar aos calcanhares desta SENHORA.
Se for homem deve ser um atrasado mental e se for mulher...que pena tenho de si.

Anónimo disse...

Tenho 36 anos, tenho cabelo Branco desde os 20 e poucos. Sempre o pintei, por mim!! Não por mais ninguém! Hoje estou grávida do meu segundo filho, sou a mãe mais velha da escola, e sou vista como uma mãe progressiva, comparando com as outras mães. Se me preocupa que o meu filho sinta a minha idade um dia, que vá sofrer. Não! Não é isso que tenho medo! Tenho medo é que ele se torne num ser humano com preocupações tão fúteis como a cor do cabelo da mãe! Isso sim é de preocupar!
Por acaso, não acho que o cabelo actual da Marta esteja com ar desmazelado ( e até podia estar), acho que é de uma coragem tremenda o assumir os brancos ( eu tentei e desisti passados 4 meses) ....
Vanessa Sousa

Anónimo disse...

Claro que desistiu,pois o cabelo branco não favorece ninguém!!!!Só e uma moda,e para se ser diferente,mas depois cai-se na real e vêem as inseguranças ao de cima!!