sexta-feira, 5 de maio de 2017

A razão porque nunca mais falei do meu gato...


Ando zangada com o meu gato há muito tempo, porque há muito tempo que não me deixa dormir uma noite seguida. A partir das cinco da manhã, religiosamente, decide acordar para a vida, acordando-me com ele, ao meu marido e ao nosso bebé. Os meus filhos mais velhos são os únicos que estão protegidos destas "festas de madrugada", porque dormem nos seus quartos respectivos, de porta fechada.
Bem sei que não é politicamente correcto dizer o que vou dizer e rebéu-béu-béu, mas tenho pensado em dar o gato a quem o queira apanhar, facto que só ainda não aconteceu, porque não houve oportunidade. Depois deste post, acredito que não faltarão vozes zangadas, lembrando que o bicho é da família e que não se dão elementos da família. Eu não irei tão longe, perdoem-me a sinceridade. Da família são os meus quatro filhos, com quem não poucas vezes apareço com "cara de tacho" de manhã, porque estou a pé há três horas. E porque a cena se repete há três anos. Não dormir repetidamente, é devastador, e não é por acaso que é tortura. E, acreditem, já tentámos mil e uma estratégias.
Este post, contudo, não é para me queixar (embora pareça!), nem é para oferecer o gato num passatempo. É apenas para dizer que, apesar da zanga, há depois momentos como o da foto acima, em que relativizo e em que me esqueço. Porque o amor redime.

17 comentários:

Anónimo disse...

Muda-lhe os hábitos. Dá-lhe a comida húmida por exemplo sempre à noite para ele não estar na perspectiva que acordas para o alimentar . Eu tive de fazer isso aos meus . Bj Sofia Costa

Melika disse...

Como eu a entendo. O meu também acorda as 5h, 5h30 e é muitoooo chato. Nao me larga enquanto nao me levanto e brinco com ele e lhe abro as janelas para ele ouvir os passarinhos. Adoro-o mas às vezes gostava dumas férias dele só para poder dormirrr. 😴

Anónimo disse...

eu não tenho gatos nem percebo muito da logística mas o bichano não pode dormir na cozinha de porta fechada e vocês fecharem também a porta do vosso quarto? e tentarem o truque da alimentação à noite para não ter fome tão cedo?
se calhar já tentaram isto mas eu sei o que é estar privada de sono e só queria tentar ajudar :-)
beijinhos e boa sorte
simone

Anónimo disse...

Here the same! Uma gata que faz montes de barulho e dá vontade de a mandar pastar!

Ana Cristina Pereira disse...

Pois... Não quero de forma alguma ser moralista, porque é sempre mais fácil falar de fora. Mas,sendo um lugar comum não deixa de ser verdade:as crianças aprendem pelo exemplo e não pelo discurso e desistir de algo que, já percebi que não é da família, mas pelo menos faz parte da casa, porque surge uma dificuldade, não é de todo um bom exemplo de como se deve batalhar quando surge um problema é que desistir não deve ser uma opção. Comecei por dizer que não queria ser moralista, mas se calhar até fui. Mas é mesmo o que penso. Imagino que foi só um desabafo.

Anónimo disse...

Pois eu tenho duas, e é a mesma coisa quando não resolvem brincar ás escondidas durante a noite e dar valentes pulos em cima de mim em plena madrugada, mas tenham lá paciencia, em ultimo caso fecho-as na cozinha. Gosto de as ter ao pé de mim, mas são como as crianças, se não se comportam...castigo.

Anónimo disse...

Como eu a entendo! A minha "obrigou-me" a ir buscar a porta da cozinha à arrecadação, sim eu sou anti-portas em casa e agora dorme na cozinha. Chora um bocadinho mas passados uns minutos está dormir e eu também. Deixei fe acordar de madrugada.

Anónimo disse...

Como a percebo, a minha não me acorda, disso não me posso queixar, mas faz tantos estragos.... Farto-me de barafustar, mas quando a vejo com o pequeno, faz-me amolecer e esquecer o resto...

Carina Marques

Anónimo disse...

Bem, e eu que estava a pensar adoptar um gato...perante os comentários acho que tenho mesmo de ponderar bastante sobre o assunto!

Patrícia disse...

Olá Marta! Parabéns pelo blog. Eu tenho dois gatinhos meigos e na maioria das vezes tespeitadores �� Dou comida à noite e deixos os na cozinha fechados, onde têm a caminha. Poucas vezes tenho coisas no chão porque eles percebem q é para ficar lá e dormem na caminha. Se eu dormir até tarde, eles só miam quando percebem que me levantei. Tente isto! Aliás eu tb não conseguiria passar porteada privação de sono. Beijinhos para si e família!

Sandra Cerqueira disse...

Uma das minhas acorda sempre de madrugada, além de miar salta para a cama para nos acordar! Um de nos levanta-se, enche a cunquinha da comida e o sossego volta! Só querem mostrar que também mandam! ��

Anónimo disse...

O meu acorda entre as 03:30 horas e as 04:00 horas religiosamente.
Quando preciso de uma noite bem dormida, opto por o fechar na cozinha ou na garagem.
Noite tranquila

Anónimo disse...

Bom dia,

tenho um gato e dorme fechado na cozinha onde tem a cama. Só começa a fazer barulho quando sente que alguem acordou.
Não faz sentido ter um gato solto pela casa durante a noite sobretudo se nao querem ser acordados de madrugada.
Já dar um animal porque não se soube educa-lo ja acho dificil de compreender.

Anónimo disse...

Epahhh...dá os putos e fica com o gato! O gato é infinitamente mais tranquilo...

Cláudia disse...

Oh! Não dê o seu gatinho ia arrepender-se, tenho a certeza... Já tentou feliway? E colocar em água a ferver umas gotas de citronela (calmante/relaxante) e fazer uns vapores pela casa? Acho que ia ajudar. Beijinhos

Sissi disse...

A minha tem sempre a taça com ração, por isso não tenho problemas com as fomes matinais. Costuma dormir na cozinha com a porta fechada porque não gosto que ela se vá meter nas camas. Além disso, caso se trate de miados e afins, há sempre a possibilidade da castração/esterilização. A minha foi e com o tempo deixou os miados e nunca mais nos chateou com isso.
Boa sorte. Não dormir por causa de um filho já é mau que chegue, agora por causa do gato, ninguém merece.

Anónimo disse...

Faça um grande favor ao pobre do animal e deixe que uma família que ame realmente animais o adopte.
Pelas suas palavras é facilmente perceptível que não está minimamente disponível para amar um animal em pleno, nem tão pouco dedicar-lhe a atenção ou esforço merecidos.
Tenho uma gata e um gato e sei o trabalho que implica no tratamento diário deles. Falo por experiência própria, mas tudo o que faço é com agrado e total disposição.