segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Sabem o que é a Plagiocefalia? [eu soube hoje...]



O Vicente nasceu com o lado esquerdo da cabeça achatado, mas não valorizei. Insistia em dormir inclinado para aquele lado, e na maternidade {ao contrário do que aconteceu com os meus três filhos mais velhos, que dormiram sempre de lado}, disseram-me para deitá-lo de costas, para evitar o Síndrome da Morte Súbita. Assim fiz.
Quando fomos à pediatra pela primeira vez, ela reparou de imediato na assimetria da cabeça do Vicente, disse-nos para deitá-lo para o lado contrário ao "achatamento" e quis avaliá-lo pouco tempo depois. Foi avaliado e encaminhado para a Neurocirurgia do Hospital Lusíadas...talvez fosse necessária uma intervenção efectiva.
Fomos hoje à consulta e soubemos que o nosso bebé tem o que se chama de Plagiocefalia, uma assimetria craniana com "achatamento" da parte superior do crânio. Esta deformação da cabeça, se não for tratada atempadamente, resulta numa assimetria crânio-facial que pode afectar a audição, a mastigação e a visão. Não tem consequências no desenvolvimento cognitivo do meu bebé, mas pode ter em termos funcionais.
Saímos da consulta azamboados, porque não estávamos à espera do diagnóstico, mas sabemos que não poderíamos estar em melhores mãos. E sabemos que a doença é reversível e que o tratamento implica apenas quatro meses da vida do Vicente. Passam depressa.
Não estranhem, por isso, que daqui a umas semanas passem a ver fotografias do Vicente de capacete, uma "ortótese" personalizada para usar durante quatro meses, 23 horas por dia.
E faço daqui um apelo: falem com os vossos pediatras sobre a melhor posição para deitarem os vossos bebés. Se pudesse voltar atrás, tê-lo-ia colocado sempre de lado, e não cairia na asneira de me "modernizar".
Se quiserem saber mais sobre esta deformação, pesquisem AQUI.

[a vida continua!]

30 comentários:

patricia neto disse...

Olá Marta no terceiro filho tbm me disseram isso na maternidade,mas como já mãe de duas meninas que sempre as deitei de lado, nunca segui esse Conselho, que apesar do que diz em e dos estudos que fazem, acho errado. Para mim os bebés tem de dormir de lado,com um apoio nas costinhas(rolo,etc há almofadinhas proprias)para não se virarem para cima.Para cima sim pode ser perigoso,se bolçam ou vomitam podem sufocar.

Fábia disse...

O meu filho também teve uma situação semelhante, que embora não fosse valorizada pelo pediatra, eu resolvi prevenir.
Depois de alguma pesquisa encontrei a almofada mimos (http://www.almofadamimos.pt) que previne malformações cranianas e permite "modernizar", deitando o bebé de barriga para cima.

Dolce Far Niente disse...

Fábia, o Vicente também tem essa almofada, mas já está numa fase avançada que terá de ser tratada de outra forma.
Obrigada pelo comentário.

Um beijinho! :)

Martolas disse...

Tranquilidade Marta!Tenho um casal amigo cujo filho também andou com o "dito" capacete durante 6 meses e ficou simplesmente perfeito.Eles estranham no início mas depois entranha-se��,e é como diz, passa a correr . Beijinho

Sara disse...

Fiquei a saber que a minha filha tinha braquicefalia de forma semelhante e tb ficámos bastante assustados! Na altura nenhum pediatra tinha valotizado mas o neurocirurgião pediátrico indicou-nos o tratamento do capacete... optámos por utilizar a almofada mimos por uns tempos enquanto decidiamos. Com o tempo e o crescimento do cabelo acabou por atenuar a forma da cabeça e hoje ela tem quase três anos e não se nota nada!! Mas claro... cada caso é um caso. Felizmente esta condição tem apenas consequências esteticas...força e que tudo corra bem!

Teresa Batista disse...

Não fique preocupada, vai ver que passa rápido ( eu sei para quem está de fora ) e especialmente é só para o bem do Vicente , força e girissimo como ele é vai ver que fica ainda mais giro bjinhos

Filipa disse...

Marta, a minha filha trabalhou em Berlim com uma senhora q tinha um bebé a usar o "capacete", com idade do Vicente. Ela já voltou há 2 anos. O miúdo está otimo e recomenda-se! 💪💪💪

Ana Filipa Oliveira disse...

Olá, Marta!
Acredito que apesar de encararem com positivismo esta notícia, não tenha sido fácil a digestão da mesma. É sempre uma batida de frente, quando nos dizem que os nossos pequenos têm qualquer coisa... Pelo que tenho lido, a Marta é uma mulher de coragem, por isso tudo será superado.
Aqui na Alemanha, após o nascimento, vêm a casa ver o bebé e a mãe. A parteira disse-me, logo no início, que a nossa pequenota tinha a tendência para colocar a cabeça para a direita e que isso poderia levar ao achatamento da mesma e ter consequências mais profundas, cujo o tratamento poderia passar pelo osteopata... indicou-me para colocá-la de modo que a fonte de luz viesse da esquerda e ela quisesse colocar a cabeça nessa direcção e assim compensar. A verdade é que era um pouco indiferente de onde vinha a luz, ela tendia para a direita. Na consulta com o pediatra falei disso... ele apalpou a cabeça, olha-a de um lado e de outro, mexeu para aqui e para acolá... e disse que não tinha nada, mas voltou a falar na questão da fonte de luz.
O teu texto deixou-me com um pequeno frio na barriga. Mas já passa! :-) Será que eles avaliaram bem? Só me resta crer que sim. Eu não vejo nenhuma deformação na cabeça da nossa filha. Mas confesso que na foto do Vicente também nao consigo detectá-la. E a propósito, fiquei com a pulga atrás da orelha. De que modo é que achas que a modernice da barriga para cima foi prejudicial?
Desejo que vos (nos) corra tudo bem. Vai correr! (correr mesmo - quando derem por ela, já passou)

Isabel Patrício disse...

Beijinho grande, é sempre dificil quandi as nossas crias tem algo que não podemos evitar nem carregar. .. Tenham meses tenham anos, tudo de bom ! Respira fundo, vai passar rápido !

Cátia Adriano disse...

De uma mãe que teve (e ainda tenho) de lidar com um síndrome de Crouzon, digo-lhe que vai conseguir enfrentar esse problema do Vicente com força e coragem que desconhece ter. E esses quatro meses, quando der conta, já passaram e vai estar tudo bem! Um grande beijinho para toda a família e para si em particular. Coração de mãe sofre, mas supera tudo.
http://nada_acontece_por_acaso.blogs.sapo.pt/

Anónimo disse...

Olá Marta! Tenho apenas 22 anos e sigo-a há imenso tempo. Nada melhor como o dia de hoje para fazer um comentário :)
Sou ortoprotésica, e sem duvida que este tema é a minha praia. Existem umas almofadas chamadas Mimos que ajudam na prevenção das deformidades cranianas. No entanto, quando estas são diagnosticadas tardiamente não há outra opção a não ser usar as ortoteses cranianas (capacetes) para que seja corrigida a deformidade antes do fechamento das suturas do crânio.
Vai passar num instante, vai ver! O Vicente vai ficar com uma cabeça super perfeitinha. Ainda para mais, agora vem o inverno e é mais fácil.
Beijinhos desta sua seguidora que já viu dezenas de casos de sucesso como este, prestes a ver mais um :)

Beijinhos.
Rita

Ana Baptista disse...

Ola Marta, lamento que estejam a passar por isto, queremos sempre q os nossos filhos estejam bem e saudaveis. Encare como mais uma pedra no caminho q vao ultrapassar e q ainda os vai unir mais.
De uma mae para outra q ficou com o coração apertado.
Beijinhos
Ana Baptista

Isabel Borges disse...

Olá, não costumo comentar, mas hoje vou fazê-lo. Um dia, tinha a minha filha 4 meses e numa visita periódica ao pediatra (em que mais uma vez lamentei o facto de ela acordar de hora em hora) foi diagnosticada com plagiocefalia (também não fazia ideia do que era). Durante alguns meses acordei durante a noite para a ir virando várias vezes durante o pouco tempo que dormia. Foi um enorme susto, em que se até aos meses não melhorasse, seguia para cirurgia. Fez vários exames, foi seguida por um cirurgião infantil e ao fim de uns meses já praticamente não se notava. Não afetou em rigorosamente nada (nem esteticamente) e hoje é uma adolescente muito vaidosa. Muita paciência. Vai correr bem!

Bailarina disse...

Muita energia positiva. Conheço dois meninos que usaram o capacete e hoje ambos são perfeitinhos!

Beijo de mãe que sabe que coração nunca sossega!

Anónimo disse...

Foça Marta. vai resolver-se tudo bem e foi como disse: o tempo voa! E mais, os miúdos têm o condão de recuperar em anos luz! Daqui a uns tempos vão olhar para trás e pensar: Já passou!

Um grande beijinho
Catarina Morgado

filipa carvalho disse...

olá

andamos a passar pelo mesmo e temos notado melhorias com a osteopatia :)

http://www.osteobox.pt/ ;)

bjinhos

Anónimo disse...

O meu filho (agora com 4 anos) nasceu com plagiocefalia, devido à posição fetal e ao pouco espaço uterino devido a uma gravidez gemelar. Além disso foi-lhe diagnosticada uma assimetria do esternocleidomastoideo. Fez fisioterapia quase um ano, usou a almofada mimos e o "capacete". Fez também ecografia ao crânio para ver as suturas cranianas. Adaptou-se muito bem. Acho que nos custa mais a nós do que a eles. O estranho é que toda a gente ficava a olhar, devido ao desconhecimento destas situações.
Vai correr bem.

Vanessa Fernandes disse...

Olá, aos 5 meses o meu filho tinha a cabeça achatada do lado esquerdo, porque ele tinha sempre a tendência de virar a cabeça para o lado esquerdo, a pediatra aconselhou a almofada mimo e uma Osteopata. Não vimos resultados com a Osteopata e era um sacrifício enorme, porque ele chorava muito, a almofada mimo é boa, mas ele acabava por conseguir tirar. Acabamos por ir a uma Consulta no Hospital D. Estefânia com a Dr. Ana Soudo e ele passou a fazer fisioterapia com a terapeuta Paula no Hospital D. Estefânia de Outubro de 2015 a Maio de 2016, para casa compramos uma almofada para ele não conseguir virar para a esquerda e fazíamos os exercícios que na fisioterapia nos ensinavam. O resultado no final deste tempo é positivo, não foi necessário capacete e já tem a cabeça normal, já agora aproveito para dizer que o Hospital da D. Estefânia foi muito rápido a dar resposta, que nestes casos, quanto mais cedo melhor! As melhoras e vai correr tudo bem.

Cristina Alves disse...

Olá Marta,
Sem desesperos porque tudo se resolve! O meu do meio também foi diagnosticado com paquicefalia e plagiocefalia devido a encerramento precoce das suturas O Dr. Távora, na altura chefe de serviço na Estefania, foi incansável e tudo se resolveu sem intervenção cirúrgica. Fisioterapia, devido ao torcicolo com que tinha nascido, mais uma almofadinha especial para dormir e uma cunha almofadada para ficar de bruços e fazer reforço muscular na coluna e tudo se atenuou. Hoje, 17 anos depois, desse tempo só nos resta a recordação da ansiedade e a consulta de oftalmologia anual para controlar se há pressão ocular.
Força e um grande beijinho
Cristina

Anónimo disse...

Vai tudo correr bem!! A minha mãe sempre me contou que estive muito tempo com a cabeça encaixada ao nascer (o parto demorou mais de 24 horas)e o resultado foi a cabeça achatada num lado. A solução dada pela parteira (nasci em casa há 52 anos) foi de deitarem-me para o outro lado com uma almofada a amparar as costas para não rodar e ficar de barriga para cima. No espaço de alguns meses o meu melãozinho retomou a forma e cresci sem qualquer problema. Afinal todos sabemos que os ossos da cabeça estão afastados para que a criança possa passar de pelo canal vaginal ao nascer e alguns bebés demoram mais tempo a alcançar a "normalidade". Recordo-me também do meu filho há 23 anos ter tido uma "ameaça" desse problema por gostar de estar mais virado de um lado para o outro mas fomos alternando como o Pediatra sugeriu e o problema desapareceu. Vejo que hoje em dia a medicina está mais atenta a estas questões mas não se assustem porque a natureza também vos vai ajudar. Felicidades e muita saúde para todos.

Vidas da Nossa Vida disse...

Olá Marta, o meu filho do meio, agora com 3 anos e meio também nasceu com a cabeça achatada, o pediatra desvalorizou e disse para mudar o lado da cama para contrariar a posição e que com o tempo e até aos 2 anos ia ao sítio. Não foi... Nota-se menos, mas continua com a cabeça assimétrica. O pediatra diz que não tem influência nenhuma, que é pouco e que não precisa de ser visto por um neurocirurgiao. O médico de família foi da mesma opinião. Houve alturas em que isto me tirou o sono, mas estes dois médicos desvalorizaram... Mas de vez em quando (como agora, ao ler isto) ainda penso que se o pediatra tivesse outra opinião poderíamos ter seguido um caminho diferente... (Beijinhos, gostei de a conhecer no dia da caminhada, Mafalda) Que corra tudo bem!!

Anónimo disse...

E uma segunda opinião?
Não seria perder tempo, talvez ganhar.
Uma avó preocupada.

Marlene disse...

Olá Marta,

O meu filho tb foi disgnosticado com plagiocefalia, pois insistia em virar a cabeça para o mesmo lado ao dormir. Por muito que insistissemos em virar, lá voltava ele a rodar para o outro lado.
Dormia de barriga para cima pois já na altura me foi dito que era a mais segura.
Foi seguido por um neurocirurgião pediátrico e não foi preciso fazer nada. Ficou com um lado ligeiramente mais achatado. Agora com nove anos, corta o cabelo bem curto e não se nota. Só nós nos apercebemos. A nível cognitivo tb não o afectou em nada!

Vai ver que vai correr tudo bem!

Beijinhos
Marlene

Rita B. disse...

Eu sempre deitei os meus de barriga para cima conforme o pediatra indicou... mas fui comprar uma almofada que diz prevenir a plagiocefalia (não foi o médico que mandou, eu é que me informei...). Não sei se foi disso mas os meus filhotes não tiveram. Um beijinho grande para o Vicente que vai ficar super giro com o novo acessório! E ele está em boas mãos. Os meus filhotes são seguidos no hospital Lusíadas (Porto) e são impecáveis! O mais novo nasceu lá! :)

Alf disse...

Olá Marta

O Meu filho mais novo, também teve plagiocefalia, apenas utilizei uma almofada especial, que utilizava bastante, para dormir, para estar deitado, sentado na cadeirinha. Ainda se colocou a hipótese do capacete, mas não foi necessário. Passado 5 anos, ele esta ótimo, e com o Vicente também vai correr tudo bem. beijinhos e força

Anónimo disse...

O meu mais novo tambem teve... desvalirizaram sempre, ate porque na altura nao existia tratamento em portugal... fui para espanha, fartei-me de viajar com ele. andou com o capacete 5 meses, e tudo correu bem. Tem sete anos, continua a ser avaliado, principalmente em oftalmologia, porque além da plagiocefalia tambem teve craniosinostose.
Boa sorte, que corra tudo bem.

AnaG. disse...

O meu bebé faz um ano esta semana. É um bebé saudável, cheio de vida e grandalhão. Posso dizer que a primeira escolha da pediatra não correu bem. Tive boas referências, mas o certo é que não houve empatia e decidi procurar outra. Agora estou mais satisfeita, o problema é que temo já ter tomado esta decisão tardiamente. Na consulta dos 10 meses (a primeira com a nova médica), também foi diagnosticada plagiocefalia ao bebé. É claro que já tínhamos questionado o fato de ter a cabeça "torta", e foi-nos sempre dito que provavelmente ia lugar com o tempo. Não, disse a nova pediatra. Só não vai lá com o tempo, como já é tarde para tratar o problema. Fiquei triste. Senti-me completamente enganada e de certa forma ignorante por nunca ter ouvido falar em plagiocefalia até àquele dia. Ser mãe de primeira viagem chega a ser frustrante. Contamos com a ajuda e apoio de especialistas, gastamos imenso dinheiro em consultas e batemos palminhas, respiramos de alívio quando nos dizem que está tudo bem,e depois sai-nos uma destas. Espero que ele não venha a sofrer com isto. Marta, ainda bem que o diagnosticaram a tempo. Ainda que custe, ainda vai muito a tempo de o tratar. Beijinhos

Leoazinha disse...

Olá! A minha filha também tem plagiocefalia e sempre foi ignorado pelo médico até que ontem vá consulta me falou no capacete!! Ela já tem 8 meses... Não sei o que fazer!

Letícia Lorrany disse...

Meu filho tem 4 anos e tbm tem plagiocefalia.
A pediatra com 6 mesês disse que a cabeça dele estava ficando torta e que era só fazer o reposicionamento, que ele ia crescer e que ela ia ficar normal.
Isso não aconteceu !
Não dá pra ver logo de cara tbm , só se reparar muito e passar a mão .

sofia pisco disse...

Os bebes não se engasgam mais de barriga para cima,pelo contrário, uma vez que tem o reflexo de virar a cabeça quando bolçam, a posição dorsal ( de barriga para cima) possibilidade ainda a expansão pulmonar, o que previne os engasgamentos e reduz a possibilidade do síndrome da.morte súbita.Para além disso mesmo de barriga para cima e possível alternar a.direcção da cabeça e.assim prevenir os " achatamentos" Mas nisto da maternidade temos que fazer aquilo que achamos melhor para os nossos bebes e que nos deixa mais tranquilas :)