terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Eu [patinho feio] me confesso

Quando era miúda, tive alguns problemas de integração na escola e nos meios onde me movia na altura. Tinha psoríase no corpo inteiro, estive careca durante um tempo depois de um grave acidente de viação, e num período significativo da minha infância, senti-me sempre um patinho feio. Uma carta fora do baralho. 
Talvez por esta razão {talvez por outras que a Psicologia explica}, esforçava-me continuamente por agradar a toda a gente e, mais por medo que por outra coisa qualquer, fazia questão de ser sempre educada, ajustada a todos os contextos, simpática com o mundo inteiro, boa aluna e filha exemplar.

Hoje, com as devidas distâncias próprias da idade, e apesar da vida já me ter ensinado que quebrar algumas regras compensa, continuo a sentir-me uma peça de lego quem nem sempre encaixa. Mantenho o esforço infantil de querer agradar, e quase morro de tristeza quando percebo que, às vezes, a coisa não acontece. A magia não se dá. A empatia não se cria. Não houve espaço. Não foi o momento. Não era para ser. E que bom que seria se tivesse sido.
Olho-me e gosto do que vejo. Não escondo isso. Mas o que fazer com aquele espelho interior distorcido que às vezes teima em projectar aquela menina assustada de há muitos anos atrás. Aquela de quem alguns colegas não se sentavam perto, com medo de apanharem manchas na pele. Aquela careca de ligaduras na cabeça que não podia correr para não se voltar a magoar. A menina que tinha vómitos, todas as manhãs antes de ir para a escola, e que morria de medo que olhassem para ela. A miúda com quem quase ninguém brincava. "Passar por entre a chuva, passar por entre a chuva": o meu mantra da altura.
Há momentos em que essa menina está mais viva que nunca. Momentos em que sinto que não caibo. Que não pertenço. Momentos em que a vida me vai pondo à prova, normalmente, quando me acho no topo do mundo, por uma razão ridícula qualquer.
Hoje sinto-me assim: tão pequena como um bago de ervilha.
O que vale é que sou doida por ervilhas.
Nem tudo está perdido.





13 comentários:

Isabel Patrício disse...

Curioso, quem te lê e vê as fotos não imagina... tens um sorriso tão aberto, feliz de bem com a vida ! E bom não nos esquecer-mos de onde vimos, mas só se isso nos fizer felizes está bem ? Parabens pela pessoa que és por aquilo q transmites, humana acima de tudo! Boas festas, bjs

pés no sofá disse...

O outro dia vi uma frase que dizia "I rather be someone's shot of whiskey than everyone's cup of tea". E é isso mesmo. E já agora, um facto giro: uma ervilha pode ser pequena, mas está carregada de fibra, sabias?

Definitivamente São Dois disse...

Pequenina com uma ervilha? Um mulheraço destes?? Essa menina haverá de existir sempre dentro de ti, mas cresceu, quebrou as barreiras e os medos, as vergonhas e as inseguranças, e hoje é uma mulher linda e cativante! Um caso tipico de patinho feio (palavras tuas) que se transformou em cisne! Este era o mood de ontem, espero que hoje estejas melhor! Uma grande beijoca!!

Raquel Caldevilla disse...

Queres saber um segredo? Tu és muito mais linda, inspiradora e fabulosa do que esses pensamentos maus! :)

Niki disse...

Não consigo entender como alguém pode não criar empatia contigo! Não consigo mesmo!
Há dias assim e de certeza que já contaste aos teus filhos a história da princesa e da ervilha. Uma ervilha pode ser marcante! Beijoooo giraça!

Regina Rebelo disse...

Primeira vez que comento, apesar de acompanhar-te :)
Achei fantástico este teu texto. Revi-me nalgumas coisas, sobretudo em sentimentos. Esta coisa de gostar que gostem de nós é estranha. E achar-mo-nos quase sempre mal compreendidos! E outras vezes perceber que afinal gostam tanto de nós, e às vezes ficarmos a pensar se merecemos...
E dias a achar que sim, e dias a achar que não!!
Puseste-me a pensar nisto...
Ahh. E acho-te muito gira, nada de patinho feio, mas belo cisne :)
Beijinhos

Anónimo disse...

Oh querida marta como me identifico com as suas palavras! Tenho apenas 26 anos e também fui um patinho feio e com vontade de agradar a tudo e a todos. Após umas belas sessões de psicoterapia, de força de vontade e com a presença de Deus melhorei. Tento melhorar todos os dias e sabe que mais? Percebo que eu com tds estes medos e receios sou mais normal e mais feliz que muita gente q se finge segura, alegre e bem disposta...!
Que 2014 lhe traga MUITAS ALEGRIAS E MUITA FELICIDADE. GOSTO DE A LER. GOSTO DE SI. E lembre-se q a ervilha pode ser pequenina mas só faz sentido se for comida com outras. Fica mais saborosa. E a Marta tem umas belas ervilhas à sua volta: os seus 3 pequeninos e o seu homem e com tada a certeza muita gente que tb a AMA!!! :)

Titanices disse...

Ai o que eu gosto de ervilhas com ovos escalfados... deve ser por isso que gosto tanto de passar por aqui!!! Já disse isto, por diversas razões, inumeras vezes desde o dia 1: Dezembro é um mês extremamente forte em emoções, faz-nos pensar e analizar a vida, a nossa e a dos nossos, tira o maior proveito disso e faz de cada um dos teus dias o melhor dia de sempre!!!

Princesa Tagarela disse...

Tenho para mim, deste meu canto de vida nem sempre fácil ou nunca fácil, que é de todos os bocadinhos menos bons que nos construímos. A inspiração que hoje geras nos que te lêem ou acompanham é fruto desses bocadinhos. E quando nos sentimos assim aprendemos sempre mais qualquer coisa sobre nós mesmo que pequenina.
Obrigada pelas tuas partilhas de sempre !!
Beijinho
Cláudia

Enjoy the Ride disse...

este vídeo vale mais que mil palavras. é isto. :)
http://youtu.be/litXW91UauE

Miss Glittering* disse...

E eu que te acho LINDA! Mega linda, cheia de luz, sorriso perfeito (invejo, muito, o teu sorriso), querida, atenta, sensível, cheia de cor e de amor.
Martinha, és muito bonita, from the inside, que se reflecte cá fora, quando quem olha para ti e repara. Os outros, os outros não contam. ;)

Um abraço grande, bem grande, como tu.

Sofia

Avó de 3 disse...

Qual patinho feio qual quê???
Quem tem um sorriso de fazer inveja, quem transmite os seus sentimentos de forma maravilhosa, pode lá ser patinho feio, ou sentir-se do tamanho de uma ervilha...nada disso...
Feliz Natal na companhia dos seus meninos.

Sofy C. disse...

Olá!
Deixaram um link para esta tua publicação, no meu blog, onde também comentei o facto de ter psoríase.
Concordo com cada palavra que escreveste. Nunca tinha pensado nisso, mas agora eu ler, também eu tento sempre agradar tudo e todos para que se calhar a parte da Psoríase passe despercebida.
Infelizmente, a minha continua bastante visível e apesar de conseguir aceitar a doença, há sempre um dia ou outro em que me vou abaixo.
Beijinho grande e muita força para ti.
Gostei muito de conhecer o teu cantinho.

Deixo aqui o link para a publicação que fiz acerca de ter Psoríase, caso queiras ler :)

http://apagueiofacebook.blogspot.pt/2014/02/uma-revelacao.html