terça-feira, 8 de outubro de 2013

Mudasti!

Quem é mãe de filhos mais crescidos saberá do que falo. Daquele exacto momento em que damos conta que os miúdos se transmutam, e passam de bezerros calmos a ovelhas tresmalhadas.
Falo agora do meu filho do meio {até aqui feito de leite morno com mel}, que acordou para a vida e decidiu começar a dar respostas tortas, a revirar os olhos {coisa que me irrita solenemente!}, e a questionar tudo o que os adultos dizem, porque só ele parece estar do lado certo da vida.
Reconhecem isto?

Às vezes acho que não fui feita para ser mãe de filhos na idade do armário. A sério que acho.
Mas depois chegam-me os remorsos. Quando eles nos voltam a dar abraços e beijos {fora dos olhares de terceiros}, e nos segredam coisas doces. Ou quando conversam connosco sobre coisas da vida. Das suas vidas. E percebemos que ainda vamos cumprindo uma função.
Nesses momentos {cada vez mais raros que uma pérola rara}, volto a lembrar-me que nasci para isto. E que ninguém disse que ia ser fácil.



7 comentários:

Anónimo disse...

Achei delicioso o que li.

Eu sei do que fala e amo de paixão a idade do armário, a adolescência...

Os meus filhos são adolescente e até lido muito bem com a situação... o segredo está em desvalorizar, sorrir e viver o momento desta revolução :)

Ser adolesncente não é tarefa facil e ser mãe no sec.XXI ????

Anónimo disse...

Deixe passar uns aninhos que eles voltam para si para nunca mais sair. É tão bom, mas tão bom ser mãe de rapazes adultos! Ser apreciada sempre por aqueles jovens tão fantásticos e ler admiração em cada olhar que nos deitam. Não! não são meninos da mamã! são felizes, têm vidas bem resolvidas e namoradas queridas que os amam. E não. Não tenho ciumes delas. Mas sabe tão bem a relação profunda e meiga que tenho com eles. E já não se escondem para me dar abraços. Fazem-no em plena rua porque gostam de mostrar o amor à mãe. Aguarde uns aninhos e verá que tudo volta como uma onda boa! Gosto do seu blogue! muito!

disse...

Sim, sei muito bem ;)
Como tudo na vida é mais uma fase...depois vai passando.
Beijinho

Tânia Carvalho disse...

Marta. 3 palavras. Comunicação não violenta. Curso. Estou a fazer. E não é porque tenha qualquer problema com os colegas de trabalho! São os revirares de olhos e o... fogo!

Bailarina disse...

ai, o meu aos 4 anos e meio já parece um adolescente! coragem e amor tudo se fará

Titanices disse...

yeap... como te entendo, embora por lá por casa não tenham, ainda (deixa cá salvaguardar a minha pessoa), chegado as respostas tortas. E ainda bem, porque tendem a despertar em mim más reacções... Mas sim, eu também tenho duvidas, muitas vezes, se terei sido feita para ser mãe durante a idade do armário!

Anita disse...

Eu não reconheço essa situação como mãe, porque não tenho filhos (apesar de ter presenciado bastantes cenas dessas nas minhas sobrinhas...), mas reconheço a situação de quando era eu a revirar os olhos e a achar que os adultos não sabiam de nada da vida e que nunca nos entendiam ;) é a forma de aligeirar a coisa: pensar que nós passámos por lá e que foi só mesmo isso, uma passagem ;)