sábado, 15 de dezembro de 2012

Das noites felizes

Acabei de chegar a casa, depois de um jantar entre amigos e de uma peça de teatro em que outra amiga participou.
E venho de alma cheia, que há amizades tardias que nos enternecem e que nos espantam.
Costuma dizer-se que os amigos fazem-se cedo. Como quem diz, as verdadeiras amizades não se ganham tarde na vida.
Discordo em absoluto.
Há, de facto, amigos que quase nascem connosco e que se fazem na primeira infância. E há alguns deles que permanecem no tempo.
Mas muitos há que se perdem nele, porque as vidas mudam de curso e as afinidades nem sempre aguentam o embate da mudança.
Contudo, a maturidade pode trazer grandes presentes no campo da amizade. Quando já sabemos quem somos, e temos a sorte de descobrir quem está no mesmo comprimento de onda.
E quando esse milagre acontece, há que desfrutar sem medo.
Como no Amor, ou não fossem os Amigos uma boa parte dele.
 
MM

3 comentários:

Frida Kahlo disse...

gosto e partilho do mesmo sentimento. gosto muito. gosto e sinto o mesmo. gosto. gosto.há sempre um vento que pode levar mas uma brisa que pode trazer. A minha brisa trouxe ontem à noite momentos e sentimentos muito, muito verdadeiros e bonsssssssssss. Bjs

Pedagogia do Terror disse...

De facto, é realmente isso que importa. Que faz sentido. O material, as coisas... não são nada se não formos felizes, se não partiharmos gargalhadas, se não tivermos ninguém para abraçar... gosto muito de ti, amiga! Beijos

Dolce Far Niente disse...

Muitos beijinhos às amigas Frida e Miss Pedagogia! :=)
Só as pessoas interessam.
Tb gosto muito de ti, A.