sábado, 11 de agosto de 2012

Escuridão da alma

Sempre fui uma pessoa que acredita nas outras pessoas, e tenho uma tendência inata para confiar, até que a vida me mostre o contrário.
Gosto de pensar que todos nascemos genuinamente bons, e que são as adversidades e a dureza da vida que nos escurecem por dentro. E que fazem sobrepor a sombra que mora em todos nós, à luz.
Ontem, tive a triste oportunidade de assistir, na fila da frente, ao fenómeno. Esse que cega qualquer relance de sensatez e que revela o que as pessoas têm de pior. O fenómeno da escuridão da alma.

Dormi mal e ainda estou meio abananada, porque há acontecimentos na vida que não passam incólumes. Por mais insólitos que sejam.
Porque mais triste que presenciá-los, é verificar como alguns deles fazem vacilar convicções profundas.
E crescer mais um bocadinho.


MM

1 comentário:

Anita Garcia disse...

É triste, mas as pessoas andam estranhas... não sei se mais egoístas agora, ou se sempre o foram.
É triste.