sábado, 7 de outubro de 2017

Mãe politicamente (in)correcta!

[a nossa cozinha, depois de um tornado chamado "Vicente"]

Todas sabemos que ser mãe é a melhor coisa do mundo, que os filhos são-o-nosso-ai-jesus, que são cansativos mas que não conseguiríamos viver sem eles, que nos dão as maiores alegrias, que nunca mais somos as mesmas depois de parir, enfim, todas nós somos mais ou menos contaminadas com estes pensamentos-mito, que tantas vezes nos toldam a razão e nos arrasam o coração, tal a culpa em que andamos quando não sentimos nada disto... muitas vezes, convenhamos.
Quem nunca se sentiu arrependida de ter filhos que atire a primeira pedra, quem nunca teve vontade de emigrar no caos da maternidade que atire a primeira pedra, quem nunca chorou baba e ranho fechada na casa-de-banho que atire a primeira pedra, quem nunca achou que  a vida tinha acabado com o nascimento de um filho que atire a primeira pedra, quem nunca imaginou uma vida paralela à escolha da maternidade que atire a primeira pedra. Eu não posso atirar nenhuma, porque embora seja muito feliz com os meus quatro filhos, também sou o meu inverso muitas vezes: aquele reverso da medalha em que me sinto miserável, exausta e invadida no tempo e no espaço a todo o momento.
Este blogue pode não servir para nada para quem está aí desse lado, mas para mim, é um divã. Obrigada.

PS: Com o devido respeito, não me venham dizer que é mesmo assim, que há dias piores que outros, ou aquela pérola "foste tu que escolheste". Sim, fui eu que escolhi e ainda bem; quanto ao resto, sei isso de cor e salteado vezes quatro. Sem qualquer ironia, ajuda se puserem corações, aquelas mãosinhas de força e tudo o que quiser dizer "estou solidária contigo". O resto, esqueçam. Obrigada.

18 comentários:

Anónimo disse...

Ter lido o seu texto foi como ver-me ao espelho,sem duvida, mas no meu caso é menos dois... Dá-me forcas saber que não sou a única, estou sim solidaria consigo... Um grande beijinho

Anónimo disse...

Estou solidária contigo!

Anónimo disse...

Eu atiraria todas as pedras para ter isso de volta

Mãe da Alice 💕 disse...

❤🙌🏻

Mãe da Alice 💕 disse...

❤🙌🏻❤

Mãe da Alice 💕 disse...

😂🙌🏻❤

xana Moreira disse...

Inspira, respira e depois pira ����

Anónimo disse...

Sim Marta, tudo isso. E "só" tenho três. Mas a tempo inteiro e sem pai nem padrasto para dividir. E também fui eu que escolhi e não voltava atrás. Mas cansa.... Mói por dentro, por fora, do direito e do avesso. Corações e mãozinhas postas para ti.

Joana disse...

❤ Tu e todas só que há quem tenha vergonha de assumir porque socialmente parece mal. Nunca chorei na casa de banho mas já me fechei lá para ler qualquer coisa �� Já agora fica a nota: não resulta.������

Matilde disse...

❤️🥂

Francisco o Pensador disse...

Bem, deixe lá isso, que isto é mesmo assim, sabe?. Há dias piores do que outros e, se for realmente honesta e pensar bem, a verdade é que foi você que escolheu tudo isso.

Agora deixe-me ver onde raio estão os corações e as mãozinhas de força que guardei dos tempos em que ainda conseguia ser solidário com alguém... :))

(Ps: A propósito, também gostei de visitar o seu blog mas não comente isso com ninguém porque pode estragar a minha reputação. E voltarei mais vezes se prometer que não corre comigo à vassourada..)

Maggie F. disse...

Eu acho que este blog serve de amparo à loucura do sonho que é a maternidade. Ideias feitas todas temos, é preciso desmistificar, e mostrar a realidade. Nada do que disse dá a ideia que se arrependeu de ter filhos, mas é duro sim, todas sabemos. e na duvida, é só procurar blogues de vidas reais, como este.
Beijinho

Maggie

Catarina Silva disse...

Olá Marta, compreendo perfeitamente o que diz...mas permita-me por favor uma observação - que vale o que vale e pela qual lhe peço antecipadamente desculpa - mas a sua cozinha precisa de ser destralhada... Simplifique Marta. A Marta tem 4 filhos, 4 filhos! E acredite no que lhe digo porque sei do que falo, a nossa casa precisa de simplificação e destralhamento proporcional ao numero de filhos. Tudo flui melhor. Tudo! Coragem!

La Sailve disse...

Os meus sentimentos tão frequentes, mas que até tenho vergonha de ter, aqui tão bem espelhados. Obrigada Marta!!

Isabel disse...

Olá Marta
Gosto de si assim.
De mim tem todos os corações e mãozinhas possíveis.....
ah é verdade....este ano volto dizer-lhe que é tão bom não vê-la nomeada nessa treta de blogues do ano.
O que eu quero é vir a um blogue e "dividir" sentimentos, vivências, dificuldade etc. etc.
Ser bombardeada por publicidade é chato e mais chato ainda, é ver com algumas horas de diferença posts a dizer maravilhas dos mesmos produtos...e isto de blogues que eu até gosto quando falam daquilo que eu gosto mas não me agrada que tenham deixado tudo de ladoa nivel profissional e vivam disto. Beijinhos marta e mantanha-se assim....livre

Catarina Silva disse...

Estou totalmente solidária contigo :)
Também tenho um Vicente e tampas e caixas espalhadas pela cozinha. Cartões que vai buscar à carteira e põe dentro dos sapatos, comandos da tv desaparecidos durante 3 dias, carrinhos enfiados nos sítios mais recônditos, cenas a voar a alta velocidade... E também me apetece devolvê-lo à procedência de vez em quando. Sem sucesso, que a procedência sou eu :)
Inspira, respira, transpira e não pira :)

Anónimo disse...

Oi Marta já ouviu falar do furacão MARIANA? POIS, mora cá em casa, agora tem 12 anos,mas durante uns tempos cá em casa também era assim! Bem há tempestades que levam mais tempo a passar que outras, porem depois da tempestade vem a bonança.
Abraços
Cris

Sofia disse...

Adoro ler os seus textos! São absolutamente reais e estou solidária consigo (mesmo não tendo filhos). :)