terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Este post é sobre segundas oportunidades...

Juvenália de Oliveira Fotografia
Agora que o tempo infinito com o meu bebé se começa a esgotar, digo que foi preciso chegar ao quarto filho para viver a Licença de Maternidade como sempre imaginei que que ela devesse ser vivida: sem medo do frio, da chuva, nem do sol excessivo, e com a energia necessária para pegar nele e zarpar, que é como quem diz, sair à rua e gozar o tempo que temos, ainda sem tempo.
Aos 42, tento afinar algumas agulhas e evito cometer os mesmos erros do passado, embora (claro está!), cometa outros de que já não terei oportunidade de me redimir. Mas acho que vivo bem com isso, porque tive a sorte do universo me ter bafejado com a experiência do recomeço, um privilégio que aproveito bem. E não é que o clima tem ajudado? Dias de sol radioso em Dezembro, dezenas de turistas em Lisboa, quiosques à cunha, música nas ruas, um ambiente a fazer parecer que ando a viajar, sem sair da minha terra. Mais um privilégio que aproveito bem. A vida tem-me ensinado a aproveitá-los todos, sem culpa e sem pestanejar.

[bom dia!]

2 comentários:

Maria Rita disse...

E ainda com a sorte de uma fotografa profissional ao lado.

Obrigada por partilharem estes momentos de simplicidade e felicidade.

Silvia Oliveira disse...

Revejo-me tanto!!
Esta gravidez aos sub-40 é uma benção enorme.
Conto os dias para estar de namoro com a minha bebê e vive-los tal e qual isto...