domingo, 2 de outubro de 2016

Post escrito com muito sono e muito mau humor...

Depois de ter dado de mamar de três em três horas durante a noite {rotina a que já estou habituada!}, a minha alvorada foi às seis da manhã, quando o Vicente determinou que já estava na cama há tempo demais. Ainda tentei voltar a adormecê-lo, pus chucha, tirei chucha, cantei baixinho, fiz o pino encarpado e cinco cambalhotas, mas nada o demoveu. Às seis da manhã estava pronto para a vida e eu que me amanhasse. 
Enquanto o meu marido tentava embalá-lo sem resultados, levantei-me, tomei banho e fui para a cozinha carpir mágoas e destilar veneno enquanto preparava o pequeno-almoço {pão de banana feito de véspera, abóbora assada e mirtilos, para quem tiver interesse}, e confesso que o meu "humor de cão" melhorou ligeiramente com a refeição, porque adoro comer, a verdade é essa. Ainda assim, esta é a parte da maternidade que mais me custa: dormir pouco e ter que me manter de pé o resto do dia, funcional, bem-disposta e, de preferência, bem encarada, porque não tenho a quem me queixar. Ninguém tem culpa do meu sono acumulado e essa constatação torna tudo ainda mais frustrante e irritante.
Peço-vos um favor: não façam comentários do género "faz parte", "eles não têm culpa", "é mesmo assim", e tal e tal. Já sei isso de cor e salteado. A comentarem, digam-me que tenho razão e que, às vezes, isto é uma treta do pior.
Obrigada.

11 comentários:

Inês disse...

É uma treta do pior!

Dolce Far Niente disse...

Inês, obrigada!!!

Sofia Neto Martins disse...

Marta, por aqui estamos na mesma e a dobrar.. mas tem toda a razão! 😃 Beijinhos

patricia neto disse...

Privação de sono é mesmo uma treta,enquanto estas em casa ainda melhor mas q usando regressares ao trabalho é que vai ser pior.....tenta dormir quando ele dorme para Pires algum sono em dia,era como eu fazia.
Beijinhos

Anónimo disse...

A mim só me apetecia gritar. Todos têm direito a ter birras de sono e nós temos de andar bem dispostas, senão vem alguém a dizer que estamos com depressao Pos- parto.É nessas alturas que vem à ideia a frase" eu não nasci para isto!" .
Mas depois de uma noite de sono tudo muda de figura!

Anónimo disse...

Por cá foram 2 anos seguidos assim! 2!!! Não sei como aguentei principalmente porque trabalhava fora de casa. Foi uma treta do pior, tens toda a razão! As minhas colegas já me perguntavam como é que eu aguentava e não tinha vontade de matar alguém (às vezes tinha eheh). Por vezes ia trabalhar com 2/3 horas de sono. Não foi fácil e quando te leio sei tão bem do que falas. Beijinhos.
Simone

Anónimo disse...

Marta, custa muito não dormir.
O meu mantra enquanto estava em casa, era ... felizmente não tenho de ir trabalhar, sempre ajudava.

Mas quando a licença acabou, custou muito. Tens toda a razão e temos todo o direito de gritar e dizer que é uma treta não dormir. Faz parte da maternidade, mas temos de dizer que é do pior.

Ana Pardal disse...

Pois, de facto, é uma treta do pior! No meu caso, fui mal habituada pelo meu filho mais velho, que sempre, desde o 1.º dia, sempre dormiu a noite toda! Pensei "Isto é peanuts! Vamos ao 2.º!". O meu 2.º filho mamou sempre de 2 em 2 horas, SEMPRE, de dia e de noite... e eu sou uma pessoa que gosta muito de dormir e que lida muito mal com a falta de sono!!!!

Sofiazinha disse...

:) É mesmo uma treta do pior, Marta.


Nessas noites, ao 2º filho, só contava os meses que faltavam para ela começar a dormir a noite toda, ou alargar horários....! Mas no 1º, não fazia ideia e desesperei muito!

Beijos solidários.

Alexandra disse...

:-) Concordo plenamente! Nada pior do que noites sem dormir. Sempre foi o que mais detestei :-)

Maria João disse...

É que é mesmo uma treta! O pessoal bem se esforça para parecer bem disposto e até consegue enganar alguns, mas não dormir é dose de leão! E nós somos apenas cachorrinhos!