segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Querer que cresçam e desejar que sejam bebés sempre! [assim é este bicho estranho chamado "mãe"]


Continuo a amamentar em exclusivo, numa cadência que ainda não consigo prever. Durante a noite, as mamadas são mais espaçadas {graças a Deus!}, mas durante o dia continuamos sem um padrão muito regular, com intervalos que variam entre a uma hora e as três. É tão difícil prever que fica quase impossível fazer quaisquer planos-sem-Vicente, porque nunca sei quando é que o meu marido ou a minha mãe me ligam a dizer que o bebé está aos gritos com fome.
Já tentámos dar-lhe biberão com o meu leite, mas falta-lhe tudo o que a mama tem e a tetina não. E confesso que não tenho insistido muito, porque pairo naquele dilema materno {que quem é mãe de filhos mais velhos sabe que pode, patologicamente, persistir até mais tarde!}, entre a vontade que temos que os filhos se autonomizem e o prazer de os continuar a ter por perto, para nos sentirmos úteis e queridas.
Resta-me saber que tudo passa. E que este "tudo" deixa muitas saudades.

2 comentários:

Bailarina disse...

Coisa de mãe! Normal portanto

Vidas da Nossa Vida disse...

A minha bebé com 7 meses e meio leite é só meu e na maminha, já introduzimos as comidas, já iniciou a creche por estes dias hora a hora, mas não vou dar leite de biberão. Eu tenho para dar de mamar, ela adora mamar e mama bem, vamos conciliar com o meu trabalho, até porque em exclusivo é só a meio da noite, antes de deitar e de manhã... E não sou fundamentalista, dos meus 3 filhos foi a única a quem tiveram de introduzir suplemento na maternidade, mas foi coisa que durou um mês, e depois disso acabou o biberão e o que é bom é o leite da mãe!! (desta vez descobri uns tops de amamentação da HM que gosto mais por não me deixarem as costas à mostra quando dou de mamar, principalmente em público. Bjs