domingo, 14 de agosto de 2016

Uma mentira branca e uma declaração de amor


Jurei-te e a mim própria que nada entre nós iria mudar depois do nascimento do Vicente, mas menti. Mudou tudo. O tempo já não é mais nosso, o meu corpo deixou de ser uma casa partilhada só contigo, e na verdade, a minha atenção está focada nele. Nem sempre ouço tudo o que me dizes até ao fim, quase não termino tarefas porque o bebé reclama pela minha presença constante, caio redonda na cama, sem conseguir entregar-te o meu corpo e a minha alma. Só quero que o Vicente adormeça para que eu possa finalmente dormir umas horas.
Há tantos assuntos sobre os quais te quero falar, mas também  nem sempre consigo. Ora cuido do bebé, ora nos minutos em que ele me dá descanso só me apetece calar e respirar fundo. Se fumasse, puxava de um cigarro.
Sei que às vezes te ressentes disto tudo. Fazes o pino e o salto encarpado para me ajudares, mas sou eu que alimento o Vicente e ainda é só comigo que ele se acalma.
Também sei que essa impotência contra o seu choro te magoa, às vezes. A paternidade (como a maternidade), é uma constante lição de humildade, porque nos expõe a todas as fragilidades, logo com quem mais amamos. Uma prova do caraças!
Uma coisa não te disse: que iria ser fácil. Os filhos são a maior prova de superação que os pais podem ter e sei que vamos passar no exame com distinção. É que apesar desta confusão toda, olho-te e vejo-te como sempre te vi. E amo-te ainda mais, porque não sei se já te disse, mas há muito tempo que sonhava ter um filho teu.

3 comentários:

Maggie F. disse...

ohhh que lindo, adoro Marta. Tudo de bom, muitas felicidades.


Maggie

Blog da mamã Lu disse...

É tão isto.. Revi-me em cada uma das tuas palavras.. Não é fácil, mas dá-se um jeito. Haja sempre esta consciência para parar e repensar sobre tudo...
Que o vossos tempos se reencontrem cada vez mais, pois fazem falta, muita falta..
Beijinho
Lu, blogdamamalu.blogspot.com

Coquinhas disse...

Que lindo :')