quinta-feira, 5 de maio de 2016

As tatuagens também servem para "sair do armário"


Fotos: Pau Storch

Fiz esta tatuagem em Setembro, e durante estes meses todos, só o meu marido a viu. O tempo entretanto refrescou, passei a usar mangas compridas {ou suficientemente compridas para não ficar visível}, e tem sido um segredo bem guardado, até ao dia que publiquei umas fotos AQUI, há poucas semanas atrás.
Fi-la para cercar o infinito que tenho igual ao meu homem e que marca o nosso casamento, e porque há já algum tempo que queria arriscar uma tatuagem maior, como quem decide correr uma maratona, saltar de pára-quedas ou subir ao Everest. Não tem que haver uma razão evidente, mas apenas a vontade de fazer o que nos dá na telha, sem ter de pedir licença.
Como em tudo na vida, haverá quem ache feia uma tatuagem deste tamanho {com todo o direito, aliás}, como também haverá quem considere um disparate fazê-la com esta idade  e no contexto mais institucional em que profissionalmente me vou movendo. Entendo a primeira razão, mas pouco a segunda, até porque já vamos tendo muitos exemplos de mulheres e de homens tatuados nos diferentes sectores de actividade, sem que isso se traduza numa ameaça à sua competência e idoneidade. Já é tempo de deixar de associar as tatuagens a um estilo de vida dito "marginal", e de passar a encará-las como aquilo que realmente são: uma manifestação identitária, um adorno, um direito que não pode excluir.
No meu caso, acabam por tornar-se uma segunda pele muito depressa, de tal forma, que me esqueço de como era o meu corpo antes de as fazer. 
A vida dá muitas voltas, mas não me imagino a fazer outra desta dimensão. Esta, contudo, é o meu orgulho, porque há muitas maneiras de "sair do armário".

2 comentários:

Sofiazinha disse...

Bom dia Marta!

Até nisso....gosto de ti e da tua postura. Também tenho 3 tatuagens. Uma é particularmente maior e está no tornozelo. Há quem não goste, claro. Mas todas têm um significado para mim. Significado que é mesmo intemporal. Quero fazer mais umas duas e "arranjar" esta do tornozelo.

Gosto muito da tua.

Beijinhos. E Siga!

Magda disse...

Olá, eu tenho uma tatuagem enorme na barriga, tem 6 anos e marca uma altura conturbada da minha vida. O fim de um casamento, na altura a ideia que não ia ter mais filhos, enfim. A maioria das pessoas não gosta e crítica mas eu nunca quis saber! Voltei a casar, voltei a ser mãe e adorei vê-lá ficar gigante com a minha barriga a crescer. É minha e ensinou-me que a vida muda taaaaanto.