terça-feira, 26 de abril de 2016

E quando a mãe precisa de ajuda?


Há sete meses que o meu medo era este: ter uma família inteira para cuidar e deixar de conseguir fazê-lo. Pois é oficial: esse dia chegou. De manhã ainda consigo pôr a mesa do pequeno-almoço agarrada à barriga, que parece que descai a todo o momento. Consigo pôr o pão na torradeira e fazer café de cafeteira. Sento-me e como com a família toda junta, numa rotina que inaugurei desde que estou em casa e que nos dá consistência. Depois disso, resta-me pouco. Arrasto-me da cadeira para o sofá e pouco mais.
Ainda assim, e no meio desta impotência que sinto, percebo que ainda me sobra o melhor: uma família que é uma equipa. O meu maior tesouro e, por estes dias, a minha melhor ajuda.

[33 semanas de Vicente]


1 comentário:

Cláudia M disse...

Força :) Logo, logo, já tem o Vicente nos braços ;)


Um beijinho