segunda-feira, 27 de julho de 2015

Lugar certo


Para estar tudo no lugar certo, os amores deveriam ser sempre eternos.
O desamor deveria só ser coisa de filme e nunca caber no mundo real. Os filhos ficariam com os pais até precisarem, e nunca teriam que se despedir antes do tempo. Não antes de ganharem asas e voar.
Para estar tudo no lugar certo, as mães e os pais deveriam poder afagar as suas crianças à noite, todas as noites, sem restrições, e poder acordá-las todas as manhãs. As sextas-feiras e os domingos nunca seriam dias de despedida e as boas-noites nunca desejadas pelo telefone.
Para estar tudo no lugar certo, nunca esta saudade me avassalaria como um tsunami. Nunca acordaria a meio da noite com um vazio no peito. Nunca me sentiria pela metade.
Mas a vida não é feita de certos nem de errados, mas de circunstâncias. É feita de gente dentro e está longe de ser perfeita.
E o lugar certo somos sempre nós que o fazemos. Todos os dias, o melhor que vamos conseguindo.

[a foto é da minha praia. De onde saí ontem e para onde já queria voltar]

2 comentários:

Carpe Diem disse...

É difícil lidar com as saudades. Percebo-te bem. Há que os deixar voar do ninho para construírem a sua própria história :)
Gostei muito do blogue!
Beijinhos

http://carpediemtome.blogspot.pt/

Anónimo disse...

Tão bom!