terça-feira, 25 de novembro de 2014

Vazios

Os vazios preenchem-se de muitas maneiras.
Com paixões, umas a seguir às outras.
Com sexo.
Com filhos.
Com comida.
Com álcool e drogas.
Com a mania do controlo.
Com consumo desenfreado.
Com trabalho excessivo.
Com anti-depressivos.
Com choro convulsivo.
Com violência.
Com passividade.

Os meus vazios {quando se agigantam}, são preenchidos com ventos de mudança.
A única forma de agitar verdadeiramente o que está mal.






2 comentários:

Cristina Pedro disse...

e quando um dia parece que vai ficar bem e depois não fica.....
e quando alimentamos uma esperança e quando não sabemos quando o devemos deixar de alimentar.......
boa sorte para si

A CA SO disse...

Os meus vazios preenchem-se a eles próprios. Encho-os de silêncios e de letras que discorro, articuladas em palavras e frases que registo.

Que os teus vazios não te devorem, mas que encontres na observação de cada um deles: o caminho de regresso.

Beijos.