segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Caro "hater anónimo", este post é mesmo para si [finalmente!]

Nos últimos tempos, venho recebendo comentários de um leitor anónimo atento, que insiste em mostrar-me por a+b, como se eu fosse muito burra, que nada do que acontece na minha vida é digno de nota.
Apesar disto {o que não deixa de ser curioso}, faz questão de ler todos os dias cada post, dando-se ao trabalho de comentar de forma articulada e cuidada alguns deles, explicando-me que tudo o que faço e tudo o que escrevo é absolutamente comum, igual ao comum dos mortais com quem o/a caro/a anónimo/a se cruza. Desinteressantes, portanto.
Dizer-lhe, apenas, duas coisas:
- Que voltar compulsivamente ao que não se gosta é matéria do foro patológico. Esteja atento/a.
- Que ter "haters anónimos" de estimação é sinal de estatuto na blogosfera. Acho, assim, que me colocou no caminho do estrelato.


Obrigada.


6 comentários:

Lili disse...

Vai buscaaaaaarrrrrrrr!!!!!!
Beijinho e...não lhe(s) dê importância.

filipa vasconcelos disse...

you go, girl! No caminho para o estrelato! Se quiseres arranjo mais umas amigas (anónimas, claro) para vir cá todos os dias dizer mal... ah espera, se calhar tenho mais que fazer, venho cá porque gosto, é um prazer ler o que escreves e a maneira "bruta" como expões certas atitudes e sentimentos... pronto, acabaram-se-me os argumentos, só mesmo se fosse stalker é que me dava para isso. Tens razão.

Mafalda disse...

Também eu já fui visitada por um Sr. Anónimo a transbordar simpatia. Estou solidária contigo! Também lhe respondi à letra.

http://mundodamafy.blogspot.pt/

Mary disse...

Muito boa resposta, sim senhora, não gosta nem presta e não sai daqui do seu blog imagine se gostasse ou fosse interessante é que ia ser bonito. Enfim haja paciência ;)

Anónimo disse...

Parabéns pelo seu blog, gosto imenso daquilo que escreve.Nunca me expressei aqui, mas depois deste texto não poderia de o deixar de fazer, o caro anónimo não têm qualquer queda para a escrita.

Anónimo disse...

Gosto do seu blog, e há pessoas que nunca nada está bem com elas!
Continue