sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Dos pecados que valem a pena


Não é que ande propriamente feliz com a minha forma física, que não ando.
Não corro há muitos meses e não faço tudo o que é preciso para voltar a fazê-lo.
Ao contrário, tornei-me profissional do queixume {arte que detesto nos outros, mas na qual sou exímia}, e invento desculpas para não recomeçar. Ou para adiar o recomeço.
E enquanto não me decido a enfrentar a preguiça e a mexer-me, abuso nas calorias, mas no que vale realmente a pena, que não desperdiço o pecado da gula com qualquer coisa sem graça.
Este bolo de crepes vale todos os pecados, todas as transgressões, todos os delitos.
Olhem, que sei do que falo...


3 comentários:

Alfredo Simões disse...

O pecado da gula tem consequências nefastas a médio prazo pelo facto dessas iguarias serem compostas de ingredientes processados que não têm características naturais e onde os nutrientes importantes para a saúde faltam. Quanto a queixumes não valem de nada porque as pessoas só nos ouvem quando estamos na maior. Quando vêem alguém em baixo fogem a sete pés.

filipa vasconcelos disse...

Que giro, também não suporto gente a queixar-se mas se alguém me diz para não o fazer quase leva com uma paulada, olha lá para este/a, se há alguém que tem o direito sou eu, rebeubéu, pardais ao ninho... mas adoro dizer que não há paciência para as vítimas profissionais. Idiossincrasias. Incongruências. Características humanas menos bonitas, vá. Mas engraçadas.

Anónimo disse...

E podemos saber onde comer????
Pleassssseeeeeeeee !;)