quarta-feira, 21 de maio de 2014

Palavras que curam

Hoje, ao deitar, o meu filho Vasco disse-me que eu sou o seu coração fora do peito. E o meu dia enevoado iluminou-se. Num nano-segundo.

2 comentários:

macaca grava-por-cima disse...

não há doi doi de alma que não fique curado com esses mimos

Angie disse...

Oh que bonito!!