sábado, 22 de março de 2014

Da minha inabilidade inata para momentos solenes

Há uma vida atrás, quando fui apresentada pela primeira vez aos pais do meu ex-marido, escorreguei do alto dos meus tamancos, em plena Brasserie de L´Entrecôte, na Rua do Alecrim, e deslizei até à mesa onde já toda a família estava sentada. Foi assim que me conheceram: literalmente aos seus pés.

Hoje (uma vida passada), fomos a Setúbal informar os pais do meu companheiro que vamos casar brevemente.
Preparamo-nos para o formal anúncio, e tomamos um chá em família. De repente, a asa da chávena que tinha na mão desintegra-se, e o chá tomba sobre mim e sobre o sofá. Passo mais de meia hora enfiada na casa-de-banho, de secador em punho, a secar partes baixas. E a chorar a rir, que continuo a achar que esse é {quase} sempre o melhor remédio. 

Juro. Às vezes tenho medo de mim.
E dos momentos solenes.




5 comentários:

Lúcia disse...

O lado positivo: não te podem acusar de falta de chá.

Cláudia F disse...

Será um sinal do Universo? Eu repensava o assunto. :P

http://melhorquexanax.blogspot.pt/

Outra Maria disse...

uma boa forma de quebrar o gelo :)

Diana Mora Moraes disse...

Rir é sem dúvida o melhor remédio!! lol muito bom!

Raquel Caldevilla disse...

Ai adoro! :) ahahah