sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Do choro

Se há coisa que me irrita em mim, é o choro fácil. Aquele choro que se transforma em lágrimas que caem involuntariamente, às vezes, nas situações mais constrangedoras. 
As tontas {das lágrimas} assomam-se aos olhos como se estivessem vaidosamente à janela e, quando menos espero, escorrem cara abaixo como uma torneira que se abre repentinamente. E causam mossa. 
Em público, digo que estou com um ataque súbito de alergia, escondo-me, vou infinitas vezes à casa-de-banho, tento disfarçar o indisfarçável. Mas para o melhor e para o pior, sou transparente  e frágil como um cristal, e qualquer pessoa mais atenta percebe, olhando-me nos olhos, que estou à beira de um ataque de choro. Ou que estou no meio dele. No meio de uma avalanche de emoções que me apanham desprevenida e me atordoam. Como se minassem e silenciassem tudo à volta por breves instantes.
Depois passa. Tudo passa.
Chorar limpa-me por dentro. Liberta-me do "lixo" interior e alivia-me. E às vezes penso que nada se purifica sem alguma dor.
Esta é a minha.

6 comentários:

Anónimo disse...

Como a compreendo e na TPM então... ahh! Terrível!! :)

Mafalda disse...

Eu sou igualzinha. aliás, costumam dizer-me com alguma frequência que sou "transparente", porque a minha cara revela tudo - para o bem e para o mal e as lágrimas são a mina forma de escape e libertação. Depois também passa, tudo passa.

Teresa disse...

Junta-te ao grupo...
Buff!...

Angela Pinto disse...

Oh, como eu sou igual... choro com tanta facilidade... já lutei contra isso, mas depois percebi que quando deixo as lágrimas correr liberto-me muito mais facilmente, a dor acalma e passa tudo mais rápido... e assim sou mais feliz***

Marisa Martins disse...

Marta,

Gosto mesmo muito de "a ler"!! :) Você já faz parte dos meus dias, todos os dias a espreito. Identifico-me em muitos dos seus textos, e este é apenas mais um... Não a conheço e já gosto de si, já falo em si, como se de uma amiga se tratasse!
O seu blog, a meu ver, tem imenso conteúdo, e faz-me pensar...Pensar que, em muitas circunstâncias, há mais pessoas como eu: que pensam como eu, que falham como eu, que têm alguns problemas como eu (aqui refiro-me áquela sua publica recente da infecção urinária, nesse dia padeci do mesmo mau estar)!!
Beijinhos Marta, e obrigada por escrever tão bem e partilhar um pouco de si.

Dolce Far Niente disse...

Querida Marisa, obrigada pelas palavras. Ontem à noite quando as li, fiquei mesmo muito contente! :)Acho que é por isto que vale a pena ir continuando a escrever por aqui.

Muitos beijinhos!!!