quarta-feira, 21 de maio de 2014

Perder o medo


Não é verdade que nunca soube andar de bicicleta.
Quando era miúda, estava um dia a pedalar à volta da praceta onde morava e caí para debaixo de uma carrinha. Não tenho memória de grandes detalhes, a não ser o susto de morte que apanhei e que definiu {achava eu, para sempre}, a minha relação com as bicicletas: um objecto esteticamente apetecível, mas sem qualquer função.
O meu encanto por elas, contudo, manteve-se intacto ao longo dos anos. Basta ver a imagem deste blog e a quantidade de fotos que lhes tirei em Amesterdão, quase a tocar a raia do psicótico.
Chegada a Lisboa, tomei a decisão de reaprender a andar de bicicleta, que é o mesmo que dizer, de perder mais este medo.
Eles matam-se assim: um a um.


4 comentários:

Carla Borges disse...

Tive o mesmo dragão para matar com o carro. Tinha carta à quase 15 anos, até que resolvi perder o medo...Hoje adoro conduzir! O próximo talvez seja a bicicleta...Nunca andei...

Galopim disse...

O medo meu é água. Um dia ainda aprendo a nadar.


Belas fotos, btw! :)

Anónimo disse...

Marta,
Recomendo http://www.cenasapedal.com
Vê em Escola.
A correr e agora em bicicleta, qualquer dia estás no triatlo.

Escrever Fotografar Sonhar disse...

Também tenho para aí uns dragões para matar, como sabes...