terça-feira, 18 de março de 2014

O Dia do Pai e o dia a seguir

Amanhã é Dia do Pai. E no dia seguinte, o meu homem faz anos. 
Não posso deixar de pensar na sabedoria da vida. Esta coincidência conveniente de poderem festejar juntos {os meus três filhos e o seu "paidrasto"}, no dia a seguir ao Dia do Pai, uma espécie de paternidade: aquela que nasce no coração. A oportunidade que a vida lhes dá de fazerem uma prenda de anos e de pai, sem culpa e sem constrangimentos de nenhuma espécie. O privilégio de perceberem que no seu coração enorme, cabem muitos amores. E que terão dois dias seguidos para festejar. Sem atropelos nem precedências.
A vida é sábia. A gente às vezes é que não vê.





7 comentários:

Frida Kahlo disse...

nem mais... a vida é mesmo sábia amiga

Jardim de Algodão Doce disse...

Dizem que nada acontece por acaso. Tenho de me lembrar disto, ainda mais agora. Um beijinho e feliz dia do Pai ;)

Raquel disse...

Que feliz coincidência;)

www.margaridaflordaminhavida.blogspot.pt

Ana Corvo disse...

Esta bonita história faz-me lembrar de uma história da minha família!
A minha tia namorou com um tipo "mau carácter..." agressivo, violento!
Dias depois de ter terminado o namoro com ele (e de ter cancelado o casamento na igreja) descobriu que estava grávida! Quando o meu primo nasceu o dito "pai" não foi conhece-lo e a minha tia também nunca fez questão de os apresentar...
Passados 6 anos a minha tia casou com um homem que pediu ao meu primo para o tratar por pai, se ele quisesse... e assim foi!
Deste casamento nunca nasceram filhos mas o meu tio ganhou um filho já com 6 anos, e aos 6 anos o meu primo ganhou um pai...
Coincidências? O meu tio faz anos no dia 19 de março! no dia do pai :)

Didi disse...

Gosto... do coração. Bj. Didi

Paula disse...

Eu tenho o Dia do pai e a seguir o Dia do Filho!
:)
vidademulheraos40.blogspot.com.

Anónimo disse...

Boa noite,
Acabei de partilhar este texto no meu facebook profissional ( https://www.facebook.com/mariamanuelfigueiredomf ), não lhe resisti.
Se se importar é só dar-me um toque mariamanuelfigueiredo@yahoo.com que o retirarei.
Pareceu-me um excelente exemplo daquilo que procuramos alcançar em Mediação Familiar, um acordo sobre a regulação das responsabilidades parentais dos filhos de pais divorciados que privilegie os interesses das crianças e que possibilite aos adultos apostar num novo projeto de vida.
Parabéns pelo exemplo. Cumprimentos,
Maria Manuel Figueiredo