sábado, 15 de março de 2014

De bem com a vida [sem culpa]


É impossível acordar com este sol radioso e não achar a vida uma viagem do caraças.
Às vezes, deixamos passar janelas de felicidade por não nos sentirmos merecedores do estado de graça. Afinal, há gente que sofre muito, há tragédias que inevitavelmente nos esperam, há dias lixados.
Tudo verdade. Mas não acrescenta fingir que a vida é sempre madrasta.
Há que assimilar-lhe a bondade, sem culpa. Absorvê-la até ao tutano e encher depósitos de esperança, para usar quando for preciso. A minha tarefa do momento.



2 comentários:

Maria Varredoura Pau de Vassoura disse...

dias assim recarregam os depósitos de energia.
Como nos jogos! ;)

Diana Mora Moraes disse...

Sinto que faço isso várias vezes... :) olho para eles e penso: Tenho a melhor família do mundo! :) beijinhos e bons pensamentos!