quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Amor

Ontem, depois de mais uma despedida dos meus filhotes (a última destas férias, finalmente), o meu homem olhou-me e disse: "Já não sei o que era a minha vida antes deles...estão entranhados."
E porque sei que é verdade, que lhe estão cravados na pele, no coração e na alma, percebo mais uma vez que não é de genética, nem de moléculas, nem de cromossomas que se faz o Amor.
Faz-se do que não se mede, do que não se pesa, do que não se quantifica.
Faz-se de laços que se criam para além do sangue, porque apesar de não correr uma pinga do seu, no corpo de nenhum deles, corre a única coisa que move montanhas - o Amor.

MM 

3 comentários:

Imensidão dos dias disse...

Sem dúvida que isso é Amor :)

Paula Nunes Baptista disse...

Pois e, nao chegava ela ser uma "giraça", ter uma casa linda...(aqui e ali ja se viu um bocadinho...e gosto!!! e o meu genero)uns filhotes amorosos e um companheirao de 5 estrelas (cozinhados, miminhos...)ainda por cima este companheirao tem um coraçao e uma bondade fora do vulgar e do tamanho do mundo...Entao saiu-lhe a lotaria completa com terminaçao e tudo...
Que bom! Aproveite porque me "cheira " que nao ha muitos assim...Beijos aos dois. e continue a regalar-nos com este blog lindo. Beijos Paula

*desculpe o meu computador nao faz acentos....e eu sou aquela que se "castiga" por vir aqui ler tanta coisa linda e ficar "roxinha" de "inveja"...(na boa!!!)lembra-se?

MM disse...

Olá Paula, lembro-me perfeitamente!! :=) Obrigada pelas palavras, já tinha saudades dessa "inveja boa"! :=)
Muitos beijinhos