segunda-feira, 11 de junho de 2012

Nada acontece só aos outros



Quando chega o Verão, chegam com ele as idas à praia, à piscina, aos rios, às barragens, a tudo o que mete água.
E chega também um clima de descontração e de descompressão, que pode dar origem a acidentes. 
A acidentes graves, às vezes, irreversíveis.
E embora a mensagem da APSI já se repita há alguns anos, todos os Verões [e não só] somos confrontados com números arrepiantes, de crianças que morrem afogadas nos locais mais inesperados.
Faço daqui o meu apelo a todos os pais, a todos os adultos que acompanham as suas crianças, para que não baixem a guarda, nunca. Por mais cansados que estejam. Por mais descontraídos que estejam. Por mais descansados que estejam.
Porque há instantes que mudam a nossa vida para sempre.
Pequenas frações de segundo em que nos eclipsamos da realidade, e quando regressamos à base, é tarde demais.
É que nada acontece só aos outros.

MM


5 comentários:

Flor Guerreira disse...

Nem mais!

Teresa disse...

Ui é mesmo verdade!! Ê as distrações são cada vez maiores! É o face no tlm,sms,etc: Já assisti, uma criança na praia chamar a mãe,mas como a chamada que estava a fazer devia ser mais importante,deu-lhe uma bofetada! Mudei de lugar,durante uns tempos,a cena acompanhou-me muito tempo! DEu-me vontade de a esbofetear! SE na praia foi assim,nem quero pensar em casa! Enfim!Para que têm filhos???

Helena Barreta disse...

Sim, com as crianças não podemos facilitar nem deixar de estar atentos, todo o cuidado é pouco.

Beijinho

MM disse...

Como a entendo, Teresa!
Obrigada pelo comentário. :)

Beijinhos

MM disse...

Um beijinho, Helena!