sábado, 2 de junho de 2012

Eu não vou!

Nunca fui ao Rock in Rio e também nunca fiquei deprimida com isso.
Na verdade, gosto muito de assistir a concertos no conforto do meu sofá, quente e aconchegada, a ver a cara do protagonista {de preferência}, e não apenas um ponto em movimento lá muito ao fundo.
A minha última experiência desconcertante deste género foi com a Joss Stone, no Festival dos Oceanos.
O caricato da situação, é que a única foto que tirei {e que tanto pode ser da Joss Stone, como do Pedro Abrunhosa!}, foi ao écran gigante que estava no recinto, tal era a distância a que estava do palco.
Claro que percebo a emoção de um concerto ao vivo. A energia, o calor da multidão, o entusiasmo contagiante, percebo isso tudo. Mas passo bem sem.
Ou passava...
Antes de saber que a esta edição do Rock in Rio Lisboa vinha o Lenny Kravitz {que vi ontem do meu sofá, e que não chegou!}, e o Stevie Wonder, um clássico que marcou a minha infância e adolescência.

Bem sei que a inveja é uma coisa muito feia, mas estou cheia dela.
Para me compensar, talvez vá ver a Rita Redshoes às Festas de Oeiras.
É parecido...


MM

1 comentário:

Flor Guerreira disse...

Pois eu gosto de ambas as coisas...irrita-me nos oncertos a distância e, ainda por cima, sou míope! Adoro ver a cara do portagonista sentadinha no sofá e sem levar encontrões...Mas de facto, a adrenalina num concerto ao vivo é uma coisa fabulosa! Por incrível que parecça, eu consegui sentir essa adrenalina e emoção no +ultimo concerto ao vivo que vi que foi do Leonard Cohen! Este ano estou lá batida outra vez, se Deus quiser!!!