terça-feira, 24 de abril de 2012

Mães Desesperadas

Hoje fui levar o meu filho à Natação e deparei-me com uma mãe {como eu e como tantas outras em determinados momentos da vida}, desesperada para deixar a filharada com alguém, e fugir.
Tinha um filho já dentro da piscina, e trazia consigo a filha com cerca de 7/8 anos e uma amiga da filha, mais ou menos com a mesma idade.
Assim que viu chegar uma outra mãe sua conhecida, apressou-se a dizer que ia aproveitar aqueles 45 minutos para dar um pulinho ao Pingo Doce, porque tinha mesmo que fazer umas comprinhas.
Fez 300 recomendações à filha e à amiga da filha para não saírem do local por nada deste mundo, e pediu à "mãe sua conhecida" que desse um "olhinho" se necessário.
E desapareceu.
Passados 10 minutos, saio da piscina para regressar a casa.
E dou de caras com a mãe que ia ao Pingo Doce, em pleno jogging a uns metros do local.
Não conheço aquela mãe, nem a sua história.
E não sei se foge recorrentemente a pretexto das compras, do trabalho, das amigas, ou de qualquer outra desculpa mais ou menos esfarrapada.
Mas quem nunca fugiu alguma vez, que atire a primeira pedra.
Eu fico bem caladinha.

MM


3 comentários:

susana canhola disse...

Reconheco-me tão bem nestas tuas palavras. Sinto necessidade, tantas vezes de fugir e refugiar-me num momento a só, sem ninguém. Só eu e o silencio. E há alturas em que nos damos tão bem!!!!!

MM disse...

Fugir sabe bem e é muito terapêutico! E assumi-lo, acho que ainda é mais saudável! :)

Bjos

isa belle disse...

oi,sou nova na blogosfera e fiz um blog para asmãe.
la vc vai encontrar dica de festas,e um monte de coisas sobre filhos
se vc gostar pode seguir?
obrigada
http://paradedramamae.blogspot.com.br/