quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Dolce Far Niente Forçado

E foi desta que a gripe me derrubou.
Ou se não foi a dita, foi um bicho mau qualquer, daqueles que causam náuseas, febre, e dores lancinantes no corpo e na cabeça, quase a pontos de explodir a qualquer momento.
Embora ainda esteja capaz de me atirar para o chão, passei por aqui para dizer que não desisti de vos aturar, nem quero que desistam de me aturar a mim.
Digamos que tenho estado num dolce far niente forçado, derrubada na minha cama ou no meu sofá,  ora a tiritar de frio, ora inundada de calor, a beber chá e pouco mais.
Nada de glamouroso nem de apetecível para quem, como eu, gosta de um "doce não fazer nada" de qualidade, isto é, na plenitude das faculdades físicas e mentais.
Não foi o caso.
Espero arribar depressa, porque se avizinha um fim-de-semana doce.
Até lá, quero chá quente e mimos.
Só.

MM

4 comentários:

Marta Anico disse...

As melhoras Martinha:)) o descanso forçado mais parece um castigo, mas como em tudo há um lado positivo: venham de lá esses mimos!!

cata disse...

As melhoras!
bom fim-de-semana,

Cata
http://longoriotranquilo.blogspot.com/

MM disse...

Obrigada a todos pelos desejos de melhoras! :) Um excelente fim-de-semana!
Vão passando por aqui...:)

Helena Barreta disse...

Um dolce far niente por doença não é nada a mesma coisa, mas sempre pode "exigir" mimos e mais mimos, pode não curar a doença, mas mal não faz de certeza.

As melhoras.

Um beijinho