quinta-feira, 12 de abril de 2018

As dores dos filhos [e as nossas]



Hoje a minha filha falava-me da sensação devastadora de ter sido posta de parte por um grupo de amigas. Sentiu na pele a tristeza de ter sido afastada e a desilusão de não se ter sentido querida.
Acredito que são estas tristezas e estas desilusões que fazem crescer. Mas não tenhamos ilusões; também são elas que nos deixam cicatrizes fundas. As mesmas que nos obrigam, muitos anos depois, a ultrapassar a eterna sensação de não pertencer.
Ainda não lhe disse que a luz ofusca a sombra. Um dia digo-lhe.

3 comentários:

Titica Deia disse...

É assustador cada vez acontecer mais, será que nos esquecemos de falar com os nossos filhos do que é ser magoado e magoar? Que ter amigos é uma bênção e não um elitismo?

Educar para ser melhor, é a minha única regra!!

Beijinhos
https://titicadeia.blogspot.pt/

Anónimo disse...

Nao vejo razao para algo assim deixar cicatriz profunda, e chato, claro, mas tambem nao e para tanto. Se na vida nos deixarmos abalar por tao pouco de certeza que sofreremos muito. Tenho certeza que ela ficara bem.

Anónimo disse...

Tenho 2 filhas gémeas (8 anos) e são bastante diferentes no que toca a relações humanas. Enquanto uma é querida e aceite por todos, a outra é constantemente posta de parte... dói-me cá dentro sentir a tristeza dela e tento, dentro do que me é possível como mãe, confortá-la ....