sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Uma família mais que perfeita



Gostava que tudo fosse mais que perfeito quando estão em casa. Que não refilassem com a sopa nem com a salada, que não fosse preciso irritar-me por precisar chamar-vos dez vezes para virem para a mesa, que a hora de deitar fosse sempre calma e doce e que o acordar de toda a família fosse igual, que não fosse preciso dizer-vos para estudarem antes de se porem ao computador, que a centésima série dos Morangos com Açúcar não fosse a causa de mais uma discórdia, que não revirassem os olhos de cada vez que vos faço uma recomendação.
Quanto estão em casa, meus amores, gostava que tudo fosse mais que perfeito, porque uma coisa é zangarmo-nos quando estamos sempre juntos, e outra, é fazê-lo quando no minuto, no dia, ou na semana a seguir, não andam por aqui. 
Sim, gostava que tudo fosse mais que perfeito quando estão em casa. Vocês, sempre ordeiros, disciplinados e mimosos, e eu, sempre paciente, tolerante, sem mácula de irritação nem cansaço. 
Mas a vida real não se compadece com a perfeição em circunstância alguma, nem mesmo na causa das "famílias partilhadas". Não há causa para a perfeição, porque é destas pequenas e sucessivas "imperfeições" que é feita a normalidade dos nossos dias. E ainda bem.

2 comentários:

Carpe Diem disse...

Sim, são as "imperfeições" que vão dando cor e sabor à vida!
Beijinhos

MariaXL disse...

Por aqui também há imperfeições. Todos os dias, nas poucas horas que, na correria dos dias, estamos juntos.Também queria não ter que chamar 10 vezes para a mesa, também queria não ter que lutar de forma desigual com o computador.Também queria ter mais serenidade na hora de dirimir conflitos quando os dois cá de casa se autoproclamam inimigos públicos número um.
Ou se calhar não queria, pois isso significaria que seríamos diferentes.
E eu gosto de nós assim!
Foi muito bom passar por aqui! :-)