quarta-feira, 4 de março de 2015

Quero falar de Amor

Lembrei-me hoje que estamos há dois meses a viver de maneira diferente. Os meus filhos têm o privilégio de conviver, em quantidades iguais, com o pai e com a mãe, e as angústias do princípio vão-se dissipando. 
Lentamente, vamos integrando esta nova realidade nas nossas vidas, e percebendo que não há absolutamente nada que se tenha perdido. Ao contrário, intensificam-se as saudades saudáveis e perde-se o pudor de dizer "amo-te" e "adoro-te" as vezes que forem precisas. Sem adiar nada, porque o Amor não se adia nunca. Mesmo quando é tomado como certo, como acontece entre pais e filhos.
Uma amiga dizia-me numa certa altura difícil, que o Amor permanece sobre todas as coisas. E embora já soubesse isso de cor, ouvi-la, curou-me de uma certa maneira.
Acho que nunca lhe agradeci a salvação, mas faço-o agora. E amanhã, olhos nos olhos.
O meu ano começou cinzento, mas a Primavera está à porta.


4 comentários:

Gabriela Silva disse...

Boa Noite!
Lindo conhecer o verdadeiro significado da palavra amor, mesmo em meio a turbulência.
Já estou seguindo seu blog, seu o meu também.
http://diariosolelua.blogspot.com.br/
Obrigada! Beijos

Su disse...

Bom dia,

Sei que não é fácil termos de partilhar os nossos filhos com os pais, quando somos divorciados. Tenho uma história semelhante à sua, e desde muito cedo que a minha filha passa uma semana com o pai e a outra comigo, e isto já lá vão 4 e meio...e ela é muito feliz, ela estando feliz eu estou feliz. No início criticaram-me, hoje em dia dizem que foi o melhor que eu fiz :).

Vai ver que vai ser sempre Primavera, mesmo nos dias mais cinzentos :), não é fácil para eles, mas também é importante o lado paterno presente :).

Bjs e felicidades...

Su

ana rita disse...

Que bom. Adoro este blog.
Conheço outros casos com guarda partilhada e funcionam bem. Entre pessoas civilizadas essa é uma solução é possível e desejável. Desta forma ninguém abdica de nada e todos podem ter uma relação saudável e próxima.
Tudo de bom.
E parabéns pelos Km. Eu corro 700 metros e fico de rastos!! Mas hei-de lá chegar!

Anónimo disse...

Ontem vi-a com dois dos três, um de cada lado, a Marta com um sorriso feliz. Percebe-se, à distância, que merecem sentir apenas Primavera. Parabéns pela Mulher que é. :)
Beijinho e muitas felicidades.