domingo, 29 de março de 2015

Quem disse que a mulher de um ultramaratonista não sofre?







Créditos: Ana Morais, Correr na Cidade

Olho as montanhas à minha volta e imagino por onde andará. Se se hidrata o suficiente, se não se magoa, se consegue chegar à meta ainda de dia, depois de percorrer 53km. Tento imaginar como reagirá o seu corpo à carga física, mas principalmente, tento imaginar como reagirá a cabeça à distância e à dureza que nunca experimentou antes.
Tenho um misto de sentimentos durante todo o dia. Uma mistura de orgulho e de medo e de ansiedade. 
Apesar da tentação, porto-me bem e não lhe ligo nunca. Nem sequer mando mensagens. Não há rede por onde anda a travar a sua batalha, e não quero desfocá-lo do que tem de fazer. Do que eu sei que precisa fazer.
Passo a tarde toda a ver atletas chegar. Os da prova dos 23km e os super-heróis dos 53km. 
O sol começa forte e quente {demasiado para o que precisariam}, mas vai enfraquecendo aos poucos, até ficar frio.
Tenho medo que fique de noite, antes da chegada à meta. Sei que é um medo que partiu com ele também, e isso aflige-me.
Vale-me a companhia da crew Correr na Cidade {mais do que habituada a estas andanças}, e da Inês, a quem agradeço a calma de quem já sabe o que é esperar por este ultramaratonista experiente.

O Rui partiu às  nove da manhã e passou a meta nove horas e vinte e quatro minutos depois. Um número que ambos saberemos de cor, presumo que por muito tempo.
Logo depois da chegada, comeu meio pão de ló a chorar, e foi aplaudir quem chegou logo a seguir. Quem travou com ele as mesmas batalhas, uma proximidade que não se esquece.
Nessas nove horas também travei as minhas batalhas, mas sobre essas, falarei amanhã.
Hoje a vitória é dele. E é para ele, o meu herói e o meu grande amor, que escrevo este post.

[um agradecimento muito especial à malta toda do Correr na Cidade, parceiros de aventura e amigos. E um abraço especial ao Tiago, ele sabe porquê]



5 comentários:

Bi disse...

Um Orgulho! O ultramaratonista e o vosso amor! :)

Malcata disse...

Tantos e bons km que fizemos na companhia um do outro, ficam as imagens e sobretudo na memória uma jornada inesquecível. Parabéns a nós!

Só Eu disse...

Até me vieram as lágrimas aos olhos... Esse vosso Amor dá-me esperança, de acreditar que um dia, talvez um dia, tenha metade da vossa sorte.

Um beijinho

Pedagogia do Terror disse...

Fico tão feliz pelas lágrimas do Rui! São de vitória e alegria! Feliz pela vossa vitória!

Frida Kahlo disse...

Isto comove-me até às entranhas. Grande Rui. Beijinhos a ambos