quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

As saudades que eu já tinha de anónimos zangados!

Recebi um comentário de um leitor anónimo, dando conta da forma como estou alheada das famílias da actualidade. Parece que o post aqui de baixo tocou as campainhas do estimado leitor, que alega que o "determinismo" com que digo que com as separações perdemos uma família, é um disparate de todo o tamanho.
Começo por dizer que não há nada que aqui escreva com determinismo, já que não me tenho como a detentora de nenhuma verdade. Escrevo sobre a minha própria experiência e sobre o que vou observando à minha volta, que não vai sendo pouco nestas dinâmicas familiares, já que para além de eu própria me ter separado e de ter reconstituído família, sou Assistente Social e trabalho com muitos tipos de famílias. E ainda bem que assim é, e ainda bem que as há.
Depois, dizer ao leitor anónimo, que todas as regras têm excepção, e que se existem casais que deixam de o ser, e que continuam a ser convidados para todos os eventos familiares do ex-cônjuge, parece-me a mim maravilhoso. Acho, contudo, que mais importante que isso, é o respeito que deverá sempre permanecer, e que fiz questão de referir no post em questão.
Resta-me informar que não publiquei o comentário, anónimo e escrito num tom desagradável. As críticas serão sempre bem vindas, desde que construtivas e assinadas.
Obrigada.

5 comentários:

Maggie F. disse...

Enfim, … anónimos zangados, intriguistas e chatos é o que há mais por aqui, infelizmente. Ás vezes fico a pensar quem serão estas pessoas no dia a dia, quem são as pessoas que se dão ao trabalho de ser mal educadas, que têm prazer em ferir, em chatear e em gerar confusão, … são pessoas tristes, disso não tenho duvidas.

Mil beijinhos

Maggie

Martolas disse...

Parece-me a mim que face à actual realidade familiar, é o leitor anónimo que vive alheado das famílias da actualidade. Faço esta afirmação também com base na minha própria experiência e também, tal como a Marta, com o que vou observando à minha volta. Tudo o que deveria ou poderia ser, na sua maioria não o é, e isto sim é a realidade.

CrocDundee disse...

Acho muito bem que assim seja e concordo com o que dizes.
De qualquer maneira, sempre que aqui vier alguém e corrigir o teu português, fica bem se agradeceres.

Dolce Far Niente disse...

CrocDundee, tem toda a razão. Assim será.
É raro fazer aqui comentários, porque acho sempre que já disse tudo o que queria dizer nos posts que publico.
Ainda assim, agradeço o reparo.
Um abraço

Filipa Calqueiro disse...

Dá uma imensa vontade de dizer: live your life!