segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

A cinco passos de distância


Não posso ter bolo de chocolate em casa. Assim como não posso ter Ferrero Rocher, nem pacotes de bolachas, nem nada que acorde a minha compulsão para para me encher de doces quando estão à distância da minha cozinha.
Há muitos anos atrás, metida numa história de amor que não acabou bem, devorei uma caixa de Ferrero Rocher de dois andares, em menos de meia hora. Hoje em dia, compro chocolate Pantagruel, e raramente me satisfaço apenas com uma barra depois do café, a ver uma série qualquer. 
Quando abro uma embalagem, como sempre até ao fim. Quando corto um Bolo Rei, engulo três fatias às escondidas, atrás da porta da cozinha. Quando começo um pacote de bolachas, só descanso quando só restam migalhas.
É por isso que, cá em casa, quase nunca tenho tentações. E também é por isso que quando vou a casa de alguém, ainda passo vergonhas com 40 anos. É fácil apanharem-me em pleno pecado da gula, encostada à mesa dos doces como se o mundo acabasse amanhã.
Ontem, contudo, fiz este bolo de chocolate a pedido dos meus filhos. E vê-los saborear cada garfada como se fosse a última, foi o melhor do meu dia.
Hoje, será o pior do meu duplo queixo.

[estou em casa com um filho doente. O bolo está à distância de 5 passos do meu sofá. Sim, já contei]



4 comentários:

Krystel disse...

Ai bolo de chocolate. Ai chocolate com que quer que seja. Este é daqueles posts que podia ter sido escrito por mim. Sou uma pecadora (mas sabe tão bem, não sabe?)

Blog

macaca grava-por-cima disse...

acabaste de me lembrar na emabalagem de pastilhas de chocolate de leite Droste que enfiei para o fundo do meu armário na esperança de me esquecer dela

Ana Vinagre disse...

pois eu também tenho uma tentação: sou chocoólica (acho que é assim que se escreve). Será que pode compartilhar a receita?????? please........

Dolce Far Niente disse...

Olá Ana, a receita está no livro da Bimby :)

Beijinhos grandes