domingo, 25 de agosto de 2013

Ontem no Meco foi assim...











... amigos, uma vista de cortar a respiração, algum vento e tempo infinito.
Cada dia que passa me convenço mais que o estado de Felicidade não se atinge, mas descobre-se. 
Pode estar escondido atrás de uma refeição animada, de uma palavra que nos acende por dentro, do beijo melado dos filhos, de uma taça de vinho com amigos, de um pôr-do-sol luminoso, de um abraço apertado, de um telefonema inesperado, de um estranho que faz pensar, de um bom livro que se acaba, de uma gargalhada sonora, de uma sesta no sofá àquela hora em que me bate o sol na cara. Tanto faz.
A Felicidade está escondida onde menos a esperamos, tantas vezes mascarada de rotina e de certezas absolutas. E passamos por ela em piloto automático, com aquela sobranceria de quem toma os factos da vida como adquiridos: a saúde dos que mais amamos, o bom ambiente no trabalho, uma vida serena ao lado do nosso parceiro, o pão fresco pela manhã. Nada disso é para nós Felicidade, porque esse limbo virá buscar-nos à nossa vidinha comezinha com fogo de artifício e passadeira vermelha.
Não vem.
A Felicidade ronda-nos todos os dias. Cutuca-nos todos os dias e todos os dias a deixamos passar. Invisível na sua discrição.
No meu caso, vejo-a agora sempre que se encosta a mim, porque já a ignorei muitas vezes. Vezes demais.
Não voltarei a cair no mesmo erro. Sei disso agora.




5 comentários:

Isa disse...

É mesmo isso!! :)

luciasantosnet disse...

Bem verdade!

Helena Barreta disse...

Então, vem para os meus lados e não me disse? Ainda bem que gosta. Estas suas palavras, nesta praia que para mim e para os meus é sinónimo de piqueniques na mata, sestas em redes penduradas nas "nossas" árvores, jogos, crianças a delirar de num mesmo espaço terem campo e praia, lançar papagaios, lanches e praia só para nós quando regressávamos pelo inicio da noite. Os putos exaustos de um dia fantástico em família.

Um abraço

Sorriso disse...

"Cada dia que passa me convenço mais que o estado de Felicidade não se atinge, mas descobre-se".. é mesmo e está nas pequenas coisas que se tornam grandes aos nossos olhos.:)

Anónimo disse...

O seu marido é um borracho! Mas combina consigo...!