terça-feira, 4 de setembro de 2012

Coisas simples que os filhos nos ensinam

Nestes últimos dois dias, os meus filhos mais velhos vieram comigo para o meu local de trabalho.
Justiça seja feita {que sou uma moça que gosta de repor a verdade!} portaram-se lindamente, a ponto de me esquecer que estavam na sala e de correr sérios riscos de sair porta fora e deixá-los para trás.
Foram educados com toda a gente, disseram bom dia, boa tarde e obrigado, não levantaram a voz nem andaram em correrias pelo edifício, não cometeram nenhuma indelicadeza com ninguém {que me tenha apercebido, pelo menos!}, foram silenciosos e discretos qb, não comeram de boca aberta nem se atacaram mutuamente. Enfim, portaram-se bem.
A única coisa que correu menos bem nesta aventura, foi a visão com que os meus filhos ficaram do meu próprio trabalho. E, em consequência, a depressão que esse olhar deles me provocou.
É que à pergunta "Mãe, mas afinal o que é tu fazes no trabalho? Estás sempre à frente do computador!...", fiquei muda e queda.
E não sei o que lhes responder, não porque trabalhe pouco, mas porque também eu me debato com estas questões existenciais: o que faço, o que acrescento, o que valho, o que mudo, o que produzo que faça realmente a diferença.
Não fico obcecada com estas questões, e todos os dias tento fazer o melhor que posso e o melhor que sei.
Mas ao contrário das pessoas que nunca se questionam, gosto de ir refletindo sobre o que ando a fazer aqui por esta vida que me foi dada viver. Porque só assim posso acertar algumas agulhas e apontar no caminho certo.
 
Aos meus filhos, obrigada pela dica.
E pela lição de humildade. Porque, afinal, é possível mostrar verdades de forma simples. Muito simples.
 
MM
 
Este post é um "momento Limetree"

11 comentários:

OutraMaria disse...

as crianças sao assim, fazem perguntas simples aos quais nós nem sempre temos a resposta... tenho uma cá em casa que de vez em quando é assim...e eu glup, engolo em seco e fico a pensar.

Jaime Quintas disse...

Olá Marta,

muito bom, este post. A dar que pensar!

As coisas ganham (ou perdem) outro sentido quando vistas pelos olhos de uma criança...

Palmier Encoberto disse...

olha... a minha, pensa que comer bolos é o meu trabalho... telefona-me a perguntar se eu já os comi todos, para poder ir para casa... também não é um quadro particularmente brilhante... :DDD

Pedro Veloso disse...

Muito bom, Marta. Muito bom!

CAP CRÉUS disse...

Também eu faço essa pergunta a mim próprio, muitas vezes. E o puto já me perguntou o que fazia.
Sei que faço algo em que não acredito para além de detestar isto, pois claro.
Está aqui uma boa ideia para um post.

SS disse...

Martinha, subscrevo plenamente. Questino-me tantas vezes sobre o sentido dos meus dias no trabalho...Afinal de contas é aí que passamos parte considerável das nossas vidas. Bj

Teresa Martins disse...

Como te percebo... mas também acredito que podemos "mudar o mundo" mesmo que seja em frente ao computador. Todos os dias, um bocadinho, aqui e ali!!
Um beijinho

Dolce Far Niente disse...

Obrigada, Jaime! É mesmo verdade, os miúdos dizem muitas vezes coisas que nos deixam a pensar.

Beijinho

Dolce Far Niente disse...

Palmier, apesar de tudo, acho que os meus filhos prefeririam que eu comesse bolos a estar ao computador horas a fio! :=)
Tens sorte, vá... :=)

Dolce Far Niente disse...

Obrigada, Pedro! :=)

Um abraço

Dolce Far Niente disse...

Teresa, obrigada pelas palavras...tb dão mto que pensar! :=)

Beijinhos