quarta-feira, 18 de julho de 2012

O ar que (não) respiramos

E enquanto eu destilava debaixo de um sol ardente, o País estava literalmente a arder.
Todos os anos me arrepio com este cenário de devastação, que destrói vidas no presente e que compromete o futuro de todos, porque a sobrevivência de cada um de nós ainda depende do ar que respiramos.
Infelizmente, há quem insista em não perceber esta inevitabilidade da espécie humana.
É triste e de uma ignorância sem precedentes.
É a natureza humana no seu pior.

MM

 

3 comentários:

Viagem com tudo incluído disse...

Ainda há pouco escrevi um post sobre isso no meu blog. É devastador, terrível, brutal... Dói de ver :(

MM disse...

É isso mesmo...:=(
Qdo cheguei da praia, não queria acreditar!
Um beijinho

Helena Barreta disse...

Estou arrepiada, acabo de ler que o fogo na Madeira está incontrolável e os bombeiros pedem aos residentes que abandonem as suas casas. Como é que se deixa para trás uma casa, com tudo o que ela representa?

Um abraço a todos aqueles que estão a sofrer horrores com esta calamidade que são os incêndios.