terça-feira, 10 de julho de 2012

De férias??

Estar de férias com 3 crianças, significa tentar todos os dias praticar a arte do dolce far niente, sem conseguir. Acho que todas as mães me percebem.
Nós tentamos. E até vamos conseguindo fingir por breves instantes que gerimos a coisa com pouco esforço.
Afinal, quem é que nunca deu aquele ar de que é tudo simples...que as crianças são "portáteis" e vão para todo o lado...que se podem espojar à vontade pelo chão {pouco limpo} da sala porque não faz mal nenhum...que comem qualquer coisa rápida porque o que não mata engorda...que se forem para a cama às 11 da noite não morrem...que se ficarem 3 dias sem tomar banho na banheira ninguém foge delas...e assim por diante.
Eu vou dando esse ar todos os dias, não porque queira enganar alguém, mas apenas porque me quero enganar a mim própria.
E acredito piamente que esta pode bem ser uma estratégia de sobrevivência, com 3 crianças e umas férias para gozar.

Mas a verdade pura e dura, é que isto de fácil tem pouco.
São 3 rebentos para pôr na praia em horários decentes.
São as braçadeiras, os baldes e as pás, os gormitis e as pollys enterrados na areia e o chinfrim que isso dá.
São os banhos no mar para quem gosta de água e a areia seca para quem é de sequeiro. E o chinfrim que isso também implica.
São as conchas e os búzios que se apanham à beira mar e o reboliço quando alguma se perde.
São as vindas da praia, carregados de logística e de quilos de areia em cada dedo do pé e o chiqueiro que isso provoca.
São as idas ao Continente e a guerra pelo lugar no carrinho de compras.
São as refeições que se querem rápidas, simples e nutritivas e o trabalho que também dá tamanha criatividade diária.
São os gritos que se ouvem durante todo o dia, ora de excitação, ora de irritação.

Mas à noite, quando a casa dorme e posso esticar as pernas e não fazer nada finalmente, dou-me conta da sorte que tenho em viver o chinfrim, o chiqueiro, o reboliço e a irritação de que me queixo constantemente .
E percebo que, afinal, não há outras férias que queira ter.
Mesmo quando só percebo isto ao serão, quando a casa dorme, finalmente.


MM

3 comentários:

Helena Barreta disse...

Quando não há esse chinfrim, chiqueiro e reboliço é que é de estranhar. A algazarra nas crianças é quase sempre sinónimo de alegria.

Boas férias e bom descanso, mais que não seja à noite.

Socorro, tirem-me deste filme!!! disse...

Ainda bem prima!

MM disse...

À noite, há descanso sempre! :=) Nas outras horas, vou tentando...

Beijinhos, Helena!