sexta-feira, 27 de julho de 2012

Casamento e Divórcio

Uma leitora deste blog desafiou-me a escrever sobre o casamento e o divórcio.
E sobre se no contexto actual,  em que assistimos a tantas relações que se desfazem {às vezes à velocidade da luz}, ainda vale a pena apostar no casamento.
Infelizmente, não tenho uma resposta para dar, porque sou alérgica a generalizações.
Sou filha de pais divorciados e sou uma mulher divorciada. Apesar disso, continuo a acreditar no Amor e numa relação entre duas pessoas que querem estar juntas, porque têm um projeto de vida comum. Qualquer que ele seja.
Confesso que sou uma romântica inveterada e gostaria muito de acreditar que os grandes amores são para a vida inteira, mas também disso não tenho certezas.
Já vi casais que se amaram até à morte de um deles, e outros que pareciam um rochedo juntos e que acabaram seguindo caminhos diferentes. E também já vi outros que pareciam voláteis como uma pena, e têm sabido manter-se firmes ao longo dos anos.
A chave não me parece estar numa qualquer receita universal, mas numa que sirva ao mundo admirável que duas pessoas apaixonadas constroem. Porque cada caso é um caso.
Acredito no casamento baseado nestas premissas, embora saiba na pele que há projetos que se perdem pelo caminho. Que deixam de fazer sentido, que ficam sem cor, que não trazem mais nada senão angústia e vazio.
E também aí é preciso acreditar que uma separação pode servir para abrir portas e voar noutra direcção. A caminho do reencontro connosco próprios, ou nenhuma dor terá valido realmente a pena.

À leitora que me desafiou a escrever sobre este assunto, digo que não há uma resposta certa. Nunca há.
E também digo que, na dúvida sobre o passo a dar, mais vale esperar. Porque as certezas chegam sempre. Mesmo que doam.

MM



8 comentários:

Flor Guerreira disse...

Sou casada há uma década, não tenho casos de divórcio na família, apenas de amigos...em relação a alguns fiquei de boca aberta quando soube...outros até me admirei por os casamentos durarem tanto...por ora acredito que o meu casamento é para sempre, mas não sei se daqui a um ano pensarei da mesma forma!
Tantas palavras para dizer que penso exactamente como tu e adorei o texto! Parabéns!

MM disse...

Obrigada, Flor Guerreira!

UM grande beijinho

vidasdanossavida disse...

Claro que não há regras! Penso que a única certeza que todas temos (eu tinha-a e continuo a ter no meu casamento de 5 anos) é que casamos a acreditar que é para sempre, mas nem todos os casais têm a sorte e a vida para comemorarem 63 anos de casados, como os meus queridos avós comemoram hoje.

Anónimo disse...

Que querida Marta!! Tem razão, não devemos generalizar. Gostei do artigo, foi daqueles que me deixou a pensar. Obrigada.
Espero que tenha encontrado a sua alma gémea e que seja muito muito feliz.
Parabéns pela Mulher e Mãe que é!!

Bjs,

A.

MM disse...

Mando daqui um grande beijinho aos seus avós! Talvez tenhamos todos a aprender com eles...é uma sorte ter um exemplo desses tão perto!
Beijinhos

Ricky disse...

Concordo plenamente contigo. Como é obvio não existe receitas para um casamento duradouro...e não vale a pena dar grandes passos mais vale um de cada vez porque senão a queda pode ser muito grande....

MM disse...

Obrigada, A. Ainda bem que gostou. :=)

Um grande beijinho e muitas felicidades!

MM disse...

Um abraço, Ricardo! :=)