domingo, 10 de junho de 2012

Lisboa, Portugal

Quem vai lendo este Dolce Far Niente, sabe que sou uma lisboeta ferrenha e que adoro o Chiado.
Sempre que posso, aí vou eu a caminho da Rua Garrett e suas vizinhas, onde gosto de tudo.
Da luz, das pessoas, das lojas, dos Armazéns do Chiado, da atmosfera, da energia.
Logo ali ao lado [na Rua do Sacramento], gosto da Panificação do Chiado, mesmo em frente à Igreja onde um dos meus filhos se baptizou, mesmo ao lado do Dermatologista da família, e mesmo no coração do meu Chiado.
Fui lá há 15 dias atrás, e comi um pastel de nata dos deuses e uma meia de leite.
E não vou mais, porque a pastelaria fechou repentinamente, à semelhança da Ourivesaria Aliança e da Livraria Portugal.
Sem saber que iria encerrar, tirei as fotos que se seguem.
Ficam como homenagem aos símbolos lisboetas que se vão perdendo no tempo.
E de que os meus filhos nunca terão memória.








 
E para quem [como eu] é um apaixonado por Lisboa [e por Portugal], recomendo que visite o blog A Vida Portuguesa e a nova morada da Sancha Trindade, na plataforma online A cidade na pontas dos dedos.

Porque apaixonados pelo nosso País, precisam-se.

MM


4 comentários:

As minhas africanisses disse...

Finalmente encontro alguém que tenha o mesmo fascinio pelo Chiado. Tenho o sonho de ter um casa aí (ou na av. da Liberdade). Gosto do encanto, da diferença, sempre gostei, mesmo quando ainda eram só armazéns, e apesar de na altura ser muito miúda, já sentia essa sensação!
Não vivo em Lisboa, sou da outra margem, mas como sempre digo "Lisboa tem outra côr"

Helena Barreta disse...

Vamos esperar que nos espaços encerrados não surjam lojas pouco condizentes com a zona.

MM disse...

Também tenho o sonho de viver em Lisboa, mas já me contento com umas visitas regulares! :)

Beijinhos, Africanisses

MM disse...

Tb espero o mesmo, Helena...vamos ver!

Bjos grandes