sexta-feira, 8 de junho de 2012

Desejem-me sorte!

Quando temos filhos, criamos sempre {sem querer e sem darmos conta}, expectativas a respeito de cada um deles.
Esperamos que venham a ser parecidos connosco naquilo que gostamos em nós, e que sejam o nosso oposto naquilo de que não gostamos nada.
Esperamos crianças e adultos perfeitos. À nossa imagem e semelhança no que temos de melhor, e o mais distantes das características que preferiríamos não ter.
O choque às vezes vem, quando percebemos que os nosso filhos não são a fantasia ideal que construimos na nossa cabeça, durante os 9 meses de gestação e mais uns aninhos de vida deles.
Afinal, os nossos filhos são pessoas. E como todas as pessoas de carne e osso, têm as suas virtudes e os seus defeitos, alguns deles que herdaram claramente de nós, outros que não, e talvez nem interesse.
A verdade é que nem sempre é fácil aceitar esta premissa básica, e que atire a primeira pedra quem nunca se sentiu angustiado {e às vezes desconcertado} com coisas feitas ou ditas pelos filhos.
Eu, por exemplo, lido mal com a mentira. Prefiro mil vezes ser confrontada com uma verdade chata, que com uma mentira bonita. Talvez porque lido mal com a perda de confiança e associo sempre uma coisa à outra.
Ora quem tem um filho na fase da pré-adolescência (e nas outras todas, diga-se de passagem), é necessariamente confrontado com mentiras brancas, beges e cinzentas. E tem que saber gerir.
E também tem que tentar perceber porque é que a mentira surge.
Se faz parte da idade, se faz parte da circunstância, ou se faz parte de um padrão. E saber gerir, em função disso.
É o que farei.
Desejem-me sorte.

MM

6 comentários:

Paula disse...

Boa sorte!
vidademulheraos40.blogspot.com

MM disse...

Obrigada, Paula!

Beijinhos

Flor Guerreira disse...

Ser mãe ou ser pai é aprender sempre a lidar com qualquer coisa nova, boa ou má!
Boa Sorte!

MM disse...

Obrigada, Flor Guerreira!
É o que farei.

Um beijinho

susana disse...

Este post tocou-me especialmente, porque nos ultimos meses tenho sido confrontada com muitas mentiras. O meu filho tem 10 anos e as coisas não estão fáceis, e a mentira é algo recorrente, muito mesmo.
E não estamos a conseguir lidar da melhor forma.

MM disse...

Olá Susana, o meu filho tb tem 10 anos e estamos na mesma. Vamos acreditar que é uma fase e que faz parte da idade...

Um beijinho solidário